Advogado deixa cativeiro e morre de enfarte em São Paulo

Polícia não sabe se advogado que estava sequestrado há 17 dias foi libertado ou conseguiu fugir do cativeiro

Solange Spigliatti, Central de Notícias

13 Maio 2009 | 13h32

Um advogado que estava sequestrado há 17 dias conseguiu deixar o cativeiro na madrugada desta quarta-feira, 12, e morreu de enfarte. Ademar Porventura Michels, de 60 anos, pai do vereador Lauro Michels (PSDB), de Diadema, foi encontrado por volta das 6 horas no bairro Alto de Pinheiros, na zona oeste de São Paulo.

 

Ele estava passando mal e pediu ajuda a um guarda noturno às 2 horas. O vigilante e um motorista que estavam no local ligaram para a Polícia Militar e ficaram aguardando a chegada de uma equipe. O advogado, no entanto, morreu de enfarte antes de a polícia chegar.

Ainda não há informação se a vítima foi liberada ou conseguiu fugir do cativeiro. O corpo de Michels foi liberado do Instituto Médico-Legal (IML) no final da manhã. A polícia vai investigar o caso.

 

Ele havia sido abordado por dois homens no último dia 27 de abril, quando chegava em seu escritório, em Diadema, no Grande ABC paulista.

Mais conteúdo sobre:
sequestro advogado enfarte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.