Arquivo pessoal/Divulgação
Arquivo pessoal/Divulgação

Adolescentes acusam seguranças de agressão em shopping de São Bernardo

Quatro menores, com idades entre 14 e 17 anos, alegam ter recebido chutes, socos e choques em centro comercial do ABC Paulista

Laura Maia, O Estado de S. Paulo

24 de outubro de 2013 | 14h41

SÃO PAULO - Quatro adolescentes acusam de agressão seguranças do São Bernardo Plaza Shopping, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. O suposto crime aconteceu no sábado, 19, quando os jovens, com idades entre 14 e 17 anos, teriam sido alvos de chutes e socos, além de ter sofrido choques.

O caso foi registrado no 1° Distrito Policial da cidade e também foi encaminhado para a Comissão da Infância e Juventude da Ordem dos Advogados Brasil (OAB) de São Bernardo do Campo.

Segundo o presidente da Comissão, Ariel de Castro Alves, as famílias relataram que os seguranças também fizeram "roleta russa" com uma arma de verdade na cabeça dos meninos.

De acordo com Ariel Alves, será pedida a instauração de um inquérito policial por prática de tortura, não de lesões corporais, como foi registrado no boletim de ocorrência de sábado.

"Também haverá a instauração de um procedimento na ouvidoria de polícia e na corregedoria da Polícia Civil, por supostamente envolver um policial", afirmou Alves.

A mãe e o padrasto de uma das vítimas, que preferiram não se identificar, falaram que o menino está muito assustado e abatido e que nunca pensaram que passariam por isso. "Enquanto dois o seguravam, outro segurança dava choques. Nunca vi uma coisa dessas", afirmou o padrasto.

A tia de outro menino, que também teria sido agredido, disse que a notícia foi surpreendeu a família. "Eles ligaram desesperados e correndo pela rua, com muito medo de morrer. Foi um choque para a gente. Procuramos a segurança do Shopping, mas não tivemos nenhuma explicação."

Por meio de Nota, o São Bernardo Plaza Shopping afirmou que está à disposição das autoridades competentes para colaborar com a investigação. O estabelecimento disse ainda que sua equipe de funcionários e prestadores de serviço é "altamente capacitada e preparada para garantir a segurança e bem estar dos frequentadores."

Mais conteúdo sobre:
shoppingsegurançasagressão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.