Adolescente suspeito de matar jovem durante assalto é apreendido

Comparsa de 19 anos também foi preso por crime cometido no domingo passado; Polícia procura por outros integrantes de bando

Marco Antônio Carvalho, O Estado de S. Paulo

28 de maio de 2015 | 19h12

SÃO PAULO - A Polícia Civil apreendeu um adolescente de 16 anos e prendeu um jovem de 19 anos sob a suspeita de que eles tenham sido autores de um assalto que terminou na morte da estudante de biomedicina Natália Costa de Morais Félix, no domingo passado. A garota de 21 anos foi atropelada e morta após ter o carro roubado na zona sul de São Paulo.

As investigações estão sendo conduzidas pelo Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), da Polícia Civil paulista. O primeiro a ser preso foi Matheus José Pinheiro de Morais, de 19 anos, que revelou informações à polícia sobre o paradeiro do comparsa adolescente, a quem atribui a autoria do atropelamento. A apreensão e a prisão foram realizadas na noite desta quarta-feira, 27.

Segundo a polícia, o adolescente já teria passagens pela polícia por roubo e porte de arma de fogo. Não foi informado se ele já cumpriu alguma medida socioeducativa. A ação contra a dupla foi realizada no bairro de Americanópolis, na zona sul. O Deic informou que não encontrou armas com os suspeitos e permanece buscando identificar outros integrantes da suposta quadrilha.

O crime contra a estudante aconteceu na tarde do domingo passado quando o carro que ela dirigia foi abordado por criminosos. Ela trafegava na Avenida Professor Rubens Gomes de Souza, na zona sul da capital, e estava acompanhada da avó. Segundo a polícia, os suspeitos teriam pedido para que elas deixassem o veículo e se deitassem no asfalto. No momento da fuga, o carro atropelou Natália, que morreu na hora. A avó não ficou ferida.

Comoção. A ocorrência causou comoção de familiares e amigos da estudante. “Quais são os pensamentos quando nos lembramos da Ná? Menina linda, com sentimentos genuínos, bondosa, solidária, prestativa, alegre, amorosa, respeitosa, educada, companheira, verdadeira, super-humana, angelical... Impossível acreditar que todos estes sentimentos foram enterrados com o corpo gelado de nossa pequena!...É surreal”, lamentou uma parente em mensagem na rede social Facebook.

O pai da estudante, Anésio Felix Junior, também pela rede, deixou seu apelo ao governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB). “Excelentíssimo governador, sei que o senhor conhece a dor de perder um filho e por isto lhe transmito meus mais sinceros sentimentos, mas o senhor perdeu seu filho vítima do imponderável, um acidente aéreo. Sua perda não é nem mais nem menos importante que a minha e também nem mais nem menos dolorosa, mas o que nos revolta é que no caso da minha filha algo poderia ter sido feito e, pasme excelentíssimo, poderia ter sido feito pelo senhor.”


Tudo o que sabemos sobre:
ViolênciaDeicPolícia Civil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.