Adolescente que lidera arrastões é detido pela 4ª vez

Didi, de 16 anos, chefia quadrilha acusada de atacar pelo menos 12 restaurantes em SP nos últimos meses; um adulto também foi preso

ADRIANA FERRAZ , ARTUR RODRIGUES, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2012 | 03h02

O chefe da quadrilha que tem aterrorizado bares e restaurantes na capital paulista é um adolescente de 16 anos, segundo a Polícia Civil. Apreendido anteontem pela quarta vez, Didi, como é conhecido, é suspeito de comandar o ataque a 12 restaurantes desde fevereiro. E estava solto após receber da Justiça o direto da liberdade assistida. Seu bando é formado por pelo menos 15 pessoas, todas moradoras do Glicério, na região central.

Parte dos ladrões foi identificada com ajuda de imagens de câmeras de segurança dos estabelecimentos roubados. Em duas gravações, o adolescente aparece com a mesma roupa: a camiseta 10 do jogador Lionel Messi, da seleção argentina.

Além de Didi, foi preso Diego de Godoy, de 23 anos, também suspeito de integrar a quadrilha. Na casa dele, policiais civis encontraram centenas de itens levados em arrastões, incluindo smartphones, computadores, bolsas de grife, joias e relógios.

No local, havia também três armas - uma levada de um policial durante o assalto à Cantina do Gigio, no Brás - e um painel onde os criminosos treinavam tiro ao alvo. Como o bando não tinha estrutura para se desfazer rapidamente dos produtos roubados, o delegado-geral da Polícia Civil, Marcos Carneiro Lima, o classificou como "desarticulado".

Desde o começo do ano, ocorreram pelo menos 17 arrastões a bares e restaurantes da capital. A prisão dos integrantes do grupo suspeito de cometer a maioria dos crimes foi anunciada ontem de manhã pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB). "Prendendo uma quadrilha, ajuda a desvendar as demais", afirmou.

Segundo o seccional da área central, Kleber Altale, o adolescente era o responsável por escolher os alvos. Ele fazia o reconhecimento dos locais com o carro da avó. No dia do crime, porém, voltava aos endereços com outro carro, roubado. Cada arrastão é praticado por cinco integrantes - eles se revezam nas ações, segundo a polícia. Todos já estariam identificados.

Didi já foi reconhecido em 6 dos 12 roubos atribuídos à quadrilha. Segundo o delegado Paul Henry Verduraz, do 15.º DP, o garoto age com a certeza da impunidade. "Ele não se preocupa nem em esconder o rosto. Após ser detido pelo assalto ao Nello's, em fevereiro, voltou a cometer crimes em sequência. É audacioso, sabe escolher o que tem mais valor." O jovem seria encaminhado à Fundação Casa e ficará à disposição da Justiça, que pode ou não liberá-lo mais uma vez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.