Adiamento da Indy fecha a Marginal

Realização da prova hoje pegou de surpresa a CET, que não sabe quando vai liberar trecho da pista local e outras vias bloqueadas

Edison Veiga, O Estado de S.Paulo

02 de maio de 2011 | 00h00

O adiamento da prova paulistana da Fórmula Indy para a manhã de hoje pegou a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) de surpresa e deve ser uma dor de cabeça para o paulistano que precisar enfrentar o trânsito no horário. Parte da pista local da Marginal do Tietê continuará interditada, sem previsão de horário de liberação.

Na última sexta-feira, só por causa da montagem e preparação para a prova, as complicações já foram grandes na Marginal do Tietê: a via registrou 10 km de congestionamento no sentido Castelo Branco - em toda a zona norte foram 69 km.

Diretores da CET reuniram-se no final da tarde de ontem para definir os detalhes da operação. A possibilidade de adiamento da prova, prevista no regulamento da Fórmula Indy, não havia sido cogitada durante o planejamento inicial pelos técnicos da companhia.

A corrida estava prevista para ser realizada ontem à tarde. Após forte chuva, houve largada, interrupção, relargada e nova interrupção. A organização chegou a divulgar, por seu Twitter oficial, que a prova seria adiada para às 14h de hoje. Depois, ela foi remarcada para as 9h.

Pelo menos até o fim da manhã de hoje, a CET manterá a operação preparada para o fim de semana na região do Anhembi (veja quadro). A companhia preferiu não dar previsão de horário para o término da operação, receando novo adiamento em virtude do mau tempo.

Assim, a pista local da Marginal do Tietê continua interditada no trecho entre as Pontes das Bandeiras e da Casa Verde. A Avenida Olavo Fontoura ficará bloqueada nos dois sentidos entre a Praça Campo de Bagatelle e a Rua Brazelisa Alves de Carvalho. A SPTrans informou que as linhas de ônibus que atendem à região serão reforçadas por conta do evento.

Números. Antes do adiamento, o prefeito Gilberto Kassab e o presidente da São Paulo Turismo (SPTuris), Caio Carvalho, frisaram que a corrida traz benefícios para a cidade. "Esses eventos aquecem a economia local, geram empregos e dão visibilidade internacional à cidade", afirmou o prefeito. "A estimativa é de que a Indy gere uma receita de R$ 90 milhões. Uma quantia que cobre com sobras os investimentos da Prefeitura, que foram da ordem de R$ 15,5 milhões", apontou Carvalho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.