Adesão ao bloqueio de telefones antipropaganda está em queda

JORNAL DA TARDE

Luciele Velluto, O Estado de S.Paulo

06 de abril de 2011 | 00h00

Após dois anos de vigência da lei que permite ao consumidor bloquear telefones contra ligações e torpedos de empresas de contact center, a adesão ao cadastro está em queda. No dia em que entrou em vigor, quase 86 mil números foram cadastrados. Um ano depois, eram 11,6 mil. No mês passado, foram 7,1 mil.

Os 761 mil números de telefones móveis e fixos cadastrados nesses dois anos representam apenas 1,21% do total de 62,5 milhões de linhas do Estado de São Paulo.

A gestão do cadastro é de responsabilidade do Procon-SP. Para o diretor de fiscalização do órgão, Renan Ferraciolli, o número de queixas de consumidores que receberam ligações mesmo após entrar na lista não chega a 1%.

Para o presidente do Sindicato Paulista das Empresas de Telemarketing (Sintelmark), Stan Braz, quem mais recebia essas ligações eram as classes A e B. "Com o crescimento da economia, as empresas passam a contatar as classes C e D, que não estão no cadastro nem têm interesse em bloquear."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.