JB Neto/AE
JB Neto/AE

Acusados de matar professor durante assalto a restaurante são presos

Vítima teria se assustado e feito movimento brusco; assaltantes confessaram o crime

Ricardo Valota - Central de Notícias,

12 de novembro de 2010 | 10h51

SÃO PAULO - Foram presos em São Bernardo do Campo, no ABC, por volta das 21h30 desta quinta-feira, 11, três bandidos acusados de matar o cliente de um restaurante durante tentativa de assalto ao estabelecimento, localizado no bairro Baeta Neves, na mesma cidade.

 

Armados, Jefferson dos Reis Silva, de 22 anos, Emerson Souza Teixeira, 25, e Eduardo Barboza Azevedo dos Santos, 31, ocupando um Fiat Brava azul, pararam o carro em frente ao restaurante, mas apenas dois desceram, entre eles Jefferson, autor do disparo que matou Lucílio Fialho de Carvalho, de 45 anos, professor de Educação Física que trabalhava em uma academia na mesma região.

 

Ao invadir o estabelecimento e anunciar o assalto, Silva teria se assustado com um movimento brusco realizado pela vítima, que estava junto ao balcão, e atirou, atingido Lucílio no peito. Após o disparo, os criminosos abortaram o assalto e fugiram sem levar nada. Mesmo encaminhado ao pronto-socorro central, o professor não resistiu aos ferimentos e morreu.

 

Prisão. Três horas depois, em patrulhamento na Vila Floral, policiais militares da Força Tática do 6º Batalhão localizaram o Fiat Brava; e, após uma perseguição, conseguiram parar o veículo, que pertence a um dos criminosos, na esquina da Avenida Luiz Pequini com a Avenida Peri Ronchetti. O trio estava desarmado.

 

Segundo os policiais, os três assaltantes confessaram o homicídio. Todos moram na mesma região onde foram presos. Jefferson já tem passagem por tentativa de homicídio e porte ilegal de arma, já Teixeira, por roubo. O caso foi registrado no 1º Distrito Policial de São Bernardo do Campo.

Tudo o que sabemos sobre:
homicídioSão Bernardo do Campo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.