Acusados de agressão na Av. Paulista podem ser julgados até o Natal

Informação foi dada promotor da Vara de Infância; menores estão internados na Fundação Casa do Brás

Solange Spigliatti, Central de Notícias

06 Dezembro 2010 | 16h38

SÃO PAULO - Os quatro menores acusados de agredir pelo menos cinco jovens no último dia 14 de novembro poderão ser julgados até o Natal, segundo o promotor da Vara de Infância e Juventude, Tales Cesar de Oliveira. Os adolescentes foram internados no fim do mês passado, após se entregarem, na Unidade de Internação Provisória (UIP) Brás da Fundação Casa (ex-Febem), na região do Brás, centro de São Paulo, onde devem aguardar até a audiência.

Veja também:

linkAv. Paulista tem nova agressão a gays; centro concentra ataques

linkVítimas de novo ataque prestam depoimento na Aclimação

linkJovem agredido: 'Acordei ensanguentado e olho roxo'

linkMaior parte das denúncias envolve conhecidos

Segundo o promotor, durante a audiência também serão ouvidas as testemunhas e as vítimas. Se forem condenados, os menores poderão ficar internados na Fundação Casa por até três anos.

 

Todos são acusados de agredir com socos, pontapés e lâmpadas fluorescentes cerca de cinco jovens na região da Avenida Paulista. Duas vítimas disseram à polícia que teriam sido confundidas com homossexuais, o que teria motivado a agressão.

Segundo documento dos delegados José Matallo Neto e Renato Felisone, do 5.º Distrito Policial (Aclimação), encaminhado ao Ministério Público (MP) e à Justiça, as ações são caracterizadas como tentativa de homicídio e formação de quadrilha.

 

Os processos tiveram como base depoimentos de vítimas e testemunhas e imagens de câmeras de segurança. Inicialmente, o caso havia sido registrado como lesão corporal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.