Acusado teria jurado de morte advogados e juíza

O advogado assistente de acusação no caso Bruno, José Arteiro Cavalcante Lima, diz ter sido jurado de morte pelo ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos. Bola, como é conhecido, é acusado de matar Eliza Samudio, ex-amante do goleiro Bruno Fernandes. O delegado que investiga o crime, Edson Moreira, e a juíza do Tribunal do Júri de Contagem, Marixa Fabiane Lopes Rodrigues, também estariam ameaçados. Segundo Lima, um companheiro de cela de Bola teria ouvido as ameaças e a confissão do assassinato.

, O Estado de S.Paulo

26 de abril de 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.