Acusado de participar de morte de casal vai a júri popular

Paulo César da Silva Marques teria participado do seqüestro e morte de Liana Friedenbach e Felipe Caffé

05 de novembro de 2007 | 15h41

A Justiça paulista julga nesta quarta-feira, 7, Paulo César da Silva Marques, o "Pernambuco", acusado de participar da morte de Liana Friedenbach e Felipe Caffé, em Juquitiba, na grande São Paulo, em 2003. O julgamento está marcado para as 9 horas, no plenário da Câmara dos Vereadores da cidade de Embu Guaçu, com previsão para durar dois dias. "Pernambuco", que responde pelos crimes de homicídio, seqüestro e cárcere privado e estupro, não foi julgado em julho do ano passado junto com os demais envolvidos por haver recorrido da sentença de pronúncia (decisão de submetê-lo a Júri Popular). O recurso foi negado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. Roberto Aparecido Alves Cardoso, conhecido como "Champinha", principal acusado do crime e não julgado por ser menor de idade à época, está recolhido em uma unidade de saúde da Fundação Casa (ex-Febem), desde o dia 3 de maio passado, conforme determinação do juiz do Departamento de Execuções da Infância e da Juventude do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP). Em julho de 2006, três dos demais envolvidos no crime foram condenados por Júri Popular a mais de 169 anos de prisão. Agnaldo Pires a 47 anos e três meses de reclusão por estupro; Antonio Caetano da Silva a 124 anos por vários estupros; e Antonio Matias a mais de seis anos de reclusão por crime de cárcere privado, favorecimento pessoal, ajuda à fuga dos outros acusados e ocultação da arma do crime. A exemplo do julgamento do ano passado, ninguém terá acesso ao local do Júri, à exceção de familiares das vítimas e do réu, pois o processo tramita em segredo de Justiça, por envolver pessoas menores de idade na época do crime.

Tudo o que sabemos sobre:
AssassinatoCaso Liana Friedenbach

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.