Acusado de matar no trânsito participa de reconstituição

Ismael ligou na manhã deste domingo para a delegacia dizendo que pretendia se entregar

da Redação, estadao.com.br

01 de junho de 2008 | 16h51

O comerciante Ismael Vieira da Silva, de 23 anos, participou neste domingo da reconstituição do assassinato ocorrido no dia 23 na Avenida Engenheiro Armando de Arruda Pereira, no Jabaquara, zona sul de São Paulo. Ele é acusado de matar o estudante Alexandre Andrade Reyes, de 18 anos. Ao disparar contra o rapaz, o comerciante fugiu. Ele se entregou na manhã deste domingo e estava foragido havia dois dias, desde que a Justiça decretou sua prisão temporária.   Acompanhe os boletins da Rádio Eldorado   Segundo os policiais, Ismael ligou nesta manhã para a delegacia dizendo que pretendia se entregar, mas que não pretendia chegar sozinho. O comerciante foi preso após combinar um ponto de encontro com os policiais. Além de Ismael, mais 11 pessoas participaram da reconstituição, entre eles amigos da vítima, um morador, um comerciante, a namorada de Ismael e outras duas testemunhas. Onze peritos foram convocados para o trabalho.   De acordo com o delegado-assistente da Seccional Sul, Irani Guedes Barros, o objetivo da reconstituição é esclarecer as distorções dos depoimentos das testemunhas. "Queremos saber se houve execução ou legítima defesa", afirmou. Os trabalhos devem durar pelo menos três horas.   No interrogatório, o comerciante disse que Reyes bateu o Gol em sua Montana. Os motoristas saíram dos carros. A vítima estava acompanhada por sete pessoas. Segundo Silva, o estudante e seus amigos o agrediram. Ele apanhou a arma, fez um disparo para trás e fugiu. Os amigos da vítima afirmam que só Fernando Marson Pereira deu um soco em Silva, que apanhou a arma. Atirou em Pereira, mas acertou Reyes.   Pela decisão da Justiça, o comerciante ficará preso por dez dias. "A prisão é indispensável para que seja possível esclarecer a autoria do crime e como realmente ocorreram os fatos", afirmou o promotor Raul Godoy Filho. Na quarta-feira, 28, o comerciante se apresentou ao delegado Silvio Ballangio Junior, da 2ª Delegacia Seccional. Foi interrogado, contou sua versão do crime e foi liberado, pois escapou do flagrante.

Tudo o que sabemos sobre:
briga de trânsitoviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.