Acusado de matar coronel é preso

A Justiça decretou a prisão preventiva do soldado Pascoal dos Santos Lima sob a acusação de ter participado do assassinato do comerciante Eder Walter Moreira, de 32 anos. Apontado como integrante do grupo de extermínio Matadores do 18, Pascoal ficou conhecido após ser acusado de matar o coronel José Hermínio Rodrigues, então comandante da zona norte de São Paulo. Pascoal foi preso anteontem.

JOSMAR JOZINO e MARCELO GODOY, O Estado de S.Paulo

12 de junho de 2010 | 00h00

Além dele, também é acusado do crime o pistoleiro Wellington de Carvalho Franco, que denunciou o PM e confessou o crime ao depor no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). O comerciante foi morto em 26 de novembro de 2006 em uma vingança porque seu irmão Ediel era suspeito de matar um policial do 18.º Batalhão.

Franco disse ao DHPP que dirigia a moto Twister de Pascoal e levava o PM na garupa quando pararam na frente da academia de ginástica frequentada pela vítima. Esperaram Eder sair. Quando ele entrou em seu Bora, Pascoal desceu da moto, abriu a porta do carro e atirou. A perícia constatou que a arma do crime, uma pistola calibre 380, foi a mesma que matou o coronel Hermínio em 2008.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.