Acusado de matar aluno da FGV é preso no Paraná

O delegado titular do 4.º DP de São Paulo, Paulo Tucci, disse ontem em Curitiba que o caso do homicídio do estudante Júlio César Grimm Bakri, de 22 anos, e da tentativa de homicídio de Christofer Akio Cha Tominaga, de 23, está "inteiramente solucionado". A declaração foi feita na apresentação de Valmir Ventino da Silva, de 19, preso sábado em Cascavel, no oeste do Paraná.

Evandro Fadel, O Estado de S.Paulo

07 Março 2011 | 00h00

Ele é acusado de, em companhia do irmão, Francisco Macedo dos Santos, de 24, já preso, ter cometido os crimes.

Alunos do 4.º ano de Administração da Fundação Getulio Vargas (FGV), Bakri e Tominaga foram baleados em 23 de fevereiro em um bar da Avenida 9 de Julho, ao lado da faculdade.

Tucci e o delegado Ricardo Prezia disseram que, informalmente, Valmir confessou o crime e disse que atirou contra os rapazes, pois eles teriam feito gestos provocadores. Mas, interpelado por jornalistas, o acusado negou.

"As imagens não mostram nada, não é eu (sic)", afirmou. "Não sei do que vocês estão falando." Perguntado sobre a razão de estar preso, disse não saber. E respondeu apenas com um "não" ao ser questionado se estava com o irmão naquela noite. "Não tenho mais nada para falar." O depoimento oficial de Valmir será tomado em São Paulo, para onde seria levado ontem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.