Polícia Militar/Divulgação
Polícia Militar/Divulgação

Acusado de manter mulher em cárcere é morto pela polícia em Iperó

Policiais foram à casa e o homem disparou contra eles, que revidaram; suspeito foi baleado e levado para um hospital, mas não resistiu

José Maria Tomazela , O Estado de S.Paulo

26 de março de 2019 | 09h50

SOROCABA - Um homem acusado de espancar e manter em cárcere privado a esposa foi morto em confronto com policiais, nesta segunda-feira, 25, em Iperó, interior de São Paulo. Depois de ser mantida presa em casa desde a noite de domingo, enquanto era surrada e ameaçada com um revólver, a mulher conseguiu fugir e pediu socorro. Os policiais foram à casa e o homem disparou contra eles, que revidaram. O suspeito foi baleado e levado para um hospital, mas não resistiu.

A vítima, de 37 anos, contou que o homem era usuário de drogas e a trancou em casa, no bairro Vale das Graças, por motivo de ciúmes. Dias antes, ele já a tinha agredido até quebrar seu braço. Além do revólver calibre 38, usado contra os policiais - o tiro atingiu o escudo de proteção de um PM -, o homem tinha uma pistola calibre 635 em casa. Após ser atingido, ele foi levado pelo Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) para o Hospital Regional de Sorocaba, onde morreu. A vítima passou por atendimento médico e foi liberada. 

FACADA - Um homem de 54 anos foi morto com uma facada pelo genro ao defender a filha que era agredida pelo marido. Depois de cometer o crime, o agressor se suicidou. A tragédia familiar aconteceu na noite de sábado, 23, em Espírito Santo do Turvo, também no interior. De acordo com a Polícia Civil, a vítima foi chamada pela filha ao sítio onde morava porque o marido a tinha agredido e ameaçava de morte. 

Quando a mulher saía da casa com o pai, o marido dela, Josuel Pereira dos Reis, de 32 anos, tentou acertá-la com a faca. O pai, Geraldo do Carmo, protegeu a filha com o corpo e recebeu uma facada no coração. O agressor fugiu antes da chegada da polícia. Ele foi encontrado morto, na manhã de domingo, com um tiro na boca, em uma propriedade vizinha. Conforme a polícia, a arma, uma espingarda calibre 36, estava ao lado do corpo. Uma perícia deve confirmar o suicídio.

CATADORA - A polícia prendeu neste domingo, 24, um rapaz de 20 anos, suspeito de espancar e arrastar pelos cabelos, em plena rua, uma catadora de recicláveis de 33 anos, em Serrana, interior de São Paulo. O crime aconteceu na quarta-feira, 20. As agressões, que incluíram chutes e pisadas na cabeça, foram registradas por uma câmera de monitoramento. 

Após a prisão, segundo a Polícia Civil, o agressor confessou que também estuprou a mulher, que havia se negado a sair com ele. Como ela é portadora de HIV, após ser preso, o jovem foi levado para o Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto para receber o coquetel antirretroviral. A mulher chegou a ser internada, mas já teve alta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.