AE
AE

Acusado de assassinar Mércia, Mizael Bispo se entrega na Grande São Paulo

Advogado e ex-policial militar se apresentou no Fórum de Guarulhos; ex-namorada foi morta em 2010

Estadão.com.br, atualizado às 19h40

24 de fevereiro de 2012 | 18h46

SÃO PAULO - O advogado e ex-policial militar Mizael Bispo de Souza, acusado pela morte da ex-namorada Mércia Nakashima, se entregou nesta sexta-feira, 24. Ele se apresentou no Fórum de Guarulhos, na Grande São Paulo, nesta tarde, diretamente ao juiz Leandro Cano. 

Além de Mizael, Evandro Bezerra da Silva também é acusado pelo crime e continua foragido. A prisão de ambos foi decretada em dezembro de 2010 e, desde então, ambos haviam desaparecido.

O advogado de Mizael Bispo, Samir Haddad Jr., disse que o cliente aguardava os julgamentos dos recursos de habeas corpus para se entregar e que agora irá pedir a prisão domiciliar para o cliente. "Vamos lutar pelos direitos dele. Como advogado, ele tem de ir para uma prisão domiciliar, não é benefício nenhum. A gente tem de ficar preso em sala de Estado Maior, mas como não tem (em São Paulo), ele tem de ficar em prisão domiciliar", afirmou.

Segundo Haddad Jr., outros dois recursos ainda aguardam julgamento - um no Supremo Tribunal Federal (STF) e outro no Tribunal de Justiça paulista. "Ele é acusado de um crime que nega, não tem ficha ou passagem policial. É um cidadão de bem", defendeu o advogado.

De acordo com o promotor do caso, Rodrigo Merli, Mizael deve ser levado para o Presídio Militar Romão Gomes, na zona norte de São Paulo, já que é PM aposentado. Em entrevista ao programa 'Brasil Urgente', da TV Bandeirantes, Merli afirmou que o fato de Mizael se entregar não foi uma apresentação "tão espontânea assim".

"Ele percebeu que vinha perdendo recursos, estava sem dinheiro, acuado e quase sendo preso. (É) uma cartada de mestre: eles (defesa de Mizael) querem ganhar confiança do Supremo Tribunal Federal e do público, dando a impressão que é bonzinho".

O crime. A advogada Mércia Nakashima desapareceu em 23 de maio de 2010, e foi encontrada morta em uma represa de Nazaré Paulista, no interior do Estado. Ela sumiu após sair da casa dos avós.

No dia 10 de junho, um pescador levou a família e a polícia até a represa onde o carro dela estava submerso. No dia seguinte, o corpo em avançado estado de decomposição foi encontrado. O laudo do Instituto Médico-Legal (IML) apontou que ela morreu por afogamento.

Tudo o que sabemos sobre:
caso mérciaMizael Bispo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.