Acusado de agredir coronel da PM é solto

A Justiça concedeu liberdade provisória ao estudante Paulo Henrique Santiago dos Santos, de 22 anos, preso por tentativa de homicídio do coronel da Polícia Militar Reynaldo Simões Rossi. A decisão, do juiz Alberto Anderson Filho, da 1.ª Vara do Júri da Capital, veio 13 dias após a prisão em flagrante do universitário durante uma manifestação, em dia 25 de outubro.

O Estado de S.Paulo

08 Novembro 2013 | 02h09

De acordo com o despacho do juiz, não havia justificativa para que Santos permanecesse preso, uma vez que o Ministério Público não denunciou o estudante por falta de provas e pediu novas diligências para esclarecimento do caso. O universitário deve ser solto até amanhã.

O suspeito teve três pedidos de liberdade negados. No quarto foi incluído parecer do perito Ricardo Molina sobre um vídeo que prova que o estudante não aparece em nenhum momento perto do policial.

Black blocs. Uma pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT) e do MDA Pesquisa revela que 93,4% dos entrevistados não apoiam a atuação dos black blocs.

O estudo registrou que 91,5% dos ouvidos não consideram como "legítima" a ação dos mascarados e 81,7% dos entrevistados defendem o direito das manifestações públicas pelos cidadãos.

Mais Médicos. A mesma pesquisa apontou que 84,3% dos entrevistados dizem apoiar o programa Mais Médicos. Em setembro, 73,9% apoiavam o programa e, em julho, 49,7%.

Para 66,8% dos entrevistados, os médicos estrangeiros estão capacitados para fazer o atendimento à população brasileira. Mas a pesquisa registrou também que para apenas 13% dos entrevistados o programa cumpre totalmente o objetivo para o qual foi criado. Outros 46% dizem que o Mais Médicos cumpre em parte os objetivos. / LORENA TABOSA, ESPECIAL PARA O ESTADO, RICARDO BRITO e RICARDO DELLA COLETTA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.