Acusado chegou a usar filha de 9 meses como refém

Na casa de um dos acusados de pertencer ao Primeiro Comando da Capital (PCC), em Monte Mor, um dos criminosos chegou a pegar a mulher e a filha de 9 meses como refém. Os policiais cercaram a casa de Jorge Leandro da Silva, de 38 anos, quando ele pegou no colo o bebê e disse que não se entregaria.

O Estado de S.Paulo

23 Outubro 2012 | 03h06

"O acusado falou que tinha explosivos na casa e ele, a criança e toda equipe iam para os ares se entrássemos naquela residência", afirmou o policial militar Nelson Santana Neto.

Depois de mais de duas horas, ela acabou se entregando. Na casa, foram encontrados três revólveres, seis carabinas, colete a prova de balas e cocaína. Em uma outra casa, na periferia de Campinas, foram encontrados com um homem de 68 anos e uma mulher de 28 um fuzil, três granadas, coletes à prova de balas e muita droga. No mesmo bairro, a PM fez buscas em uma casa que era usada para o refino de cocaína.

O Gaeco e a PM prenderam também dois acusados que estavam escondidos na sede de uma das torcidas organizadas da Ponte Preta, no centro de Campinas. / R.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.