JOSÉ PATRÍCIO/ESTADÃO
JOSÉ PATRÍCIO/ESTADÃO

Acusada pela morte de Vitor Gurman responderá a júri popular

O administrador foi atropelado em julho de 2011, na Vila Madalena, zona oeste da capital paulista

O Estado de S. Paulo

14 de outubro de 2016 | 23h15

A juíza Eliana Cassales Tosi de Mello, da 5.ª Vara do Júri da Capital, decidiu nesta sexta-feira, 14, que Gabriela Guerrero Pereira, acusada de atropelar e matar o administrador Vitor Gurman, em julho de 2011, na Vila Madalena, zona oeste da capital paulista, terá de responder a júri popular por homicídio doloso (intencional). A data do julgamento ainda será definida pelo Judiciário. Enquanto isso, ela responderá em liberdade. 

Na decisão de pronúncia, Eliana não aceitou o pedido da acusação para que fossem “impostas mais medidas cautelares” a Gabriela - inicialmente, ela chegou a ter cassado o direito de dirigir.

Da mesma forma, a juíza não deu encaminhamento à alegação da defesa de que não se trataria de crime doloso (intencional). 

“Caberá ao Conselho de Sentença decidir se a ré agiu ou não com dolo eventual, não restando demonstrado nos autos elementos que permitam de plano que seja reconhecida a desclassificação pleiteada pela ilustre Defesa.”

 

Mais conteúdo sobre:
Vila Madalena

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.