Acusada de matar pais em Brasília deixa prisão

A arquiteta Adriana Villela - acusada de mandar matar os pais, o ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral José Guilherme Villela e Maria Carvalho Mendes Villela, e a empregada da família, em 2009 - obteve habeas corpus ontem. Ela foi presa em Ipanema, no Rio, anteontem, e levada a Brasília. O Ministério Público do Distrito Federal pediu a prisão no dia 17, alegando que Adriana atrapalhava o andamento do processo. No ano passado, ela ficou 15 dias presa preventivamente, também por suspeita de atrapalhar as investigações. A Polícia Civil e o Ministério Público dizem que ela matou os pais para ficar com herança de R$ 100 milhões. Ela nega.

, O Estado de S.Paulo

29 Janeiro 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.