Acusada de matar coronel vai a júri na 2ª

O juiz Bruno Ronchetti de Castro, do 1.º Tribunal do Júri da capital, indeferiu pedido da defesa e da acusação para adiar o julgamento de Carla Cepollina, acusada de matar seu namorado, o coronel da Polícia Militar Ubiratan Guimarães, em 2006. As partes queriam mais tempo para elaborar suas estratégias. Com a decisão do juiz, o julgamento começará segunda-feira no Fórum Criminal da Barra Funda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.