Acrianos decidem atrasar relógios em 1h

Referendo aprova retorno ao horário antigo (com 3 h menos, em relação a Brasília, pelo atual horário de verão); alteração havia sido feita em 2008

Nayanne Santana / RIO BRANCO ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

01 de novembro de 2010 | 00h00

O Acre voltará ao antigo fuso horário, com 2 horas de diferença em relação ao horário de Brasília - 3 horas a menos no horário de verão. Por volta de 21h (hora de Brasília), a apuração dos votos feita pelo Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC) apontava que 81.110 eleitores votaram pela volta do antigo fuso horário e 55.312 votaram pela manutenção do atual horário.

Ontem, os eleitores do Estado votaram em duas urnas: uma para decidir o presidente e outra para decidir sobre o referendo do fuso horário. O fuso horário do Acre foi alterado em 2008, depois de uma lei do senador Tião Viana (PT-AC) ser sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Na época, o Acre adiantou em uma hora os relógios. A mudança não agradou à parte da população e o deputado federal Flaviano Melo (PMDB-AC) propôs um referendo para que os eleitores fossem consultados sobre a mudança.

A campanha do referendo foi organizada pela sociedade civil. O comitê do "Sim" tinha entre os integrantes empresários do setor de comércio e da área de comunicação. O comitê do "Não" era formado por servidores públicos e educadores, entre outros.

Televisão. As emissoras precisarão gravar a programação para se adequar à veiculação de programas de acordo com a classificação indicativa. A discussão sobre a mudança de fuso horário tornou-se política no Estado, uma vez que o autor da lei que mudou o fuso foi o governador eleito Tião Viana e o autor da lei que autorizou o referendo foi o deputado de oposição Flaviano Melo.

A senadora Marina Silva (PV-AC) afirmou, logo após votar, que confirmou nas urnas o voto em favor do retorno ao antigo horário - que deixa o Estado a duas horas de diferença da hora oficial de Brasília.

Após a votação, o resultado do referendo segue para aprovação no Congresso e, em seguida, para sanção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

PARA ENTENDER

País volta a ter quatro fusos

Com a mudança no Acre, o Brasil volta a ter quatro fusos horários. Fernando de Noronha segue com relógios uma hora à frente de Brasília; o Amazonas fica uma hora atrás e o Acre, duas horas atrás.

A padronização da hora mundial ocorreu em 1895, com base nas ideias do senador do Canadá Sanford Fleming. Em 1878, ele sugeriu um sistema que dividia a Terra em 24 faixas verticais.

No entanto, as formas dos fusos horários podem ser bastante irregulares, por causa das fronteiras dos vários países e por questões políticas. A China, que poderia abranger quatro fusos horários, obriga todo o País a utilizar o horário de Pequim. O mesmo ocorre com a Rússia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.