'Acredito na evolução da espécie', diz Haddad sobre possíveis novos confrontos na Cracolândia

Durante a posse do Conselho Participativo Municipal no Palácio Convenções, no Anhembi, o prefeito também afirmou que a ação da Polícia Civil não teve impacto no programa Operação Braços Abertos

Laura Maia de Castro e Amanda Dotto, O Estado de S.Paulo

25 de janeiro de 2014 | 17h59

O Prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), afirmou na tarde deste sábado, dia 25, que a ação da Polícia Civil na Cracolândia não teve impacto no Programa Operação Braços Abertos e que acha pouco provável que haja novas ações policiais como as da última quinta-feira, 23, na qual cinco pessoas ficaram feridas.

"Eu sempre acredito na evolução da espécie.O ser humano comete erros, mas novos e não os antigos", disse o prefeito durante a posse do Conselho Participativo Municipal no Palácio Convenções, no Anhembi.

Na prefeitura. Haddad disse que uma beneficiária do programa começa já nesta segunda-feira, 27, a trabalhar na copa do gabinete."A estratégia é movê-los de lugar para que eles percam o hábito de verem aquele lugar (Cracolândia) como o único a ser frequentado."

Segundo o prefeito, a mulher, que não teve o nome revelado, tem 42 anos e está grávida do sexto filho. Haddad disse que o acompanhamento da assistência da saúde viu nela um potencial de recuperação de curto prazo. "Nós achamos que, pela condição dela, nós deveríamos tentar oferecer uma oportunidade para ela já sair”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.