Sergio Neves/AE
Sergio Neves/AE

Acostamento vira bolsão de caminhões

Filas surgem a partir das 18 horas na junção da Tietê com a Pinheiros; alguns veículos de carga chegam a ocupar parte das faixas

Renato Machado e Rodrigo Brancatelli, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2010 | 00h00

Enquanto aguardam o fim do horário de restrição, dezenas de caminhões ficam parados no acostamento no início da Marginal do Pinheiros, formando um grande "bolsão" de estacionamento irregular. A situação apresenta riscos para os motoristas, porque não há espaço para todos e alguns ficam com parte do veículo sobre as faixas de circulação.

O bolsão de caminhões fica logo após a ponte de acesso da Marginal do Tietê para a do Pinheiros, no sentido Interlagos. Os veículos de carga começam a parar nos acostamentos - tanto da pista expressa como da local - às 18 horas. Pouco antes do fim do horário de restrição, o local chega a ter uma grande fila de veículos de carga.

Como alguns caminhões têm de ficar sobre parte das faixas de circulação, os motoristas de carros na Marginal do Pinheiros são forçados a trocar repentinamente de faixa para evitar acidentes.

A maioria dos caminhoneiros não pode seguir por rotas alternativas, como o Rodoanel, justamente porque seus pontos de entrega estão na zona sul de São Paulo, em bairros como Santo Amaro, Chácara Santo Antônio e Moema. É o caso de Adenílson Jesus Dutra, que precisa prorrogar seu horário de trabalho para fazer entregas dentro da cidade de São Paulo. Ele costuma transportar carga em várias regiões da capital, mas o ponto final das mercadorias fica na região da Avenida João Dias.

"Eu não sou um caminhoneiro de passagem. Eu moro e trabalho na capital e sou atingido pela restrição, que não me deixa circular na Marginal do Pinheiros. Então a solução é esperar aqui", disse Dutra. Na noite de segunda-feira, ele pegou a carga por volta de 18 horas - na Lapa, na zona oeste - e precisou esperar três horas no bolsão.

Riscos. Enquanto aguardam, alguns caminhoneiros jogam baralho ou aproveitam a parada para descansar. Com a pressa de quem quer chegar em casa rápido, todos saem praticamente juntos, pontualmente às 21 horas. Isso provoca um pequeno tumulto e trânsito lento para os demais veículos. Além disso, aumentam também os riscos para os outros motoristas, uma vez que pelo menos 30 caminhões saem para as pistas da Marginal do Pinheiros ao mesmo tempo.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) informou que não é permitido parar nesse "bolsão" e os infratores serão multados. "Em relação a caminhões estacionados no acostamento, informamos que isso não é permitido e os condutores dos veículos estão sujeitos às penalidades previstas pelo Código de Trânsito Brasileiro", informou o órgão, por meio de nota.

PARA ENTENDER

Desde o dia 2 de setembro, os caminhões estão proibidos de circular das 21 às 5 horas (de segunda a sexta-feira) na Marginal do Pinheiros e nas Avenidas dos Bandeirantes, Roberto Marinho e Afonso d"Escragnolle Taunay. A multa para os infratores é de R$ 85,12 - mais quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.