Acordo tenta adiar ação no Pinheirinho

Um acordo celebrado na tarde de ontem em São Paulo propõe por 15 dias a suspensão do processo de reintegração de posse do Pinheirinho, em São José dos Campos. A área é ocupada desde 2004 por 1.500 famílias - no total, são 5.500 pessoas vivendo no terreno, de acordo com a prefeitura. Segundo as lideranças, são 9 mil pessoas na área.

GERSON MONTEIRO, ESPECIAL PARA O ESTADO, SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, O Estado de S.Paulo

19 de janeiro de 2012 | 03h02

A reunião na qual a decisão foi tomada teve a participação do juiz Luiz Beethoven Giffoni Ferreira, da 18.ª Vara Cível de São Paulo, de representantes da empresa Selecta - dona do terreno de 1,3 milhão de metros quadrados -, do senador Eduardo Suplicy (PT) e de deputados federais e estaduais.

O termo do acordo agora será encaminhado para avaliação da juíza Márcia Loureiro, da 6.ª Vara Cível de São José dos Campos, responsável pela decisão. Enquanto a Justiça avalia a suspensão da desocupação, a prefeitura estuda possíveis áreas para abrigar os moradores.

O caso ganhou repercussão após os sem-teto se armarem e formarem um "exército" para resistir à reintegração que era prevista para sexta-feira passada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.