Acidentes nas Marginais mataram 32 motociclistas

A Marginal do Tietê segue como a via onde mais morrem motociclistas na capital paulista, segundo as estatísticas da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). No ano passado, 23 perderam a vida naquela via.

Caio do Valle, O Estado de S.Paulo

06 Maio 2013 | 02h03

Embora o número seja menor do que o de 2011, quando as vítimas somaram 28 ao longo do ano, a quantidade ainda é alta, especialmente levando-se em consideração que, desde agosto de 2010, a circulação de motoqueiros está proibida nas pistas expressas da Marginal. Porém, ainda é possível ver esse tipo de veículo rodando nessas faixas.

A segunda via com mais mortes de motociclistas no ano passado foi a Marginal do Pinheiros, com nove casos (ante 11 no ano retrasado). Em dezembro de 2011, o então prefeito Gilberto Kassab (PSD) chegou a anunciar a proibição das motos na via expressa da via, mas a medida nunca foi para a frente.

Em terceiro lugar na lista das vias com mais mortes de motociclistas, despontam as Avenidas Alcântara Machado, na zona leste, e Senador Teotônio Vilela, na zona sul, com seis mortes em cada. Também nesta posição está a Estrada do M'Boi Mirim, também na zona sul.

Em seguida, vêm as Avenidas Sapopemba e José Pinheiro Borges, com cinco mortes em cada uma. As Avenidas do Estado, na região central, e Jacu-Pêssego, na zona leste, além da Estrada de Itapecerica, na zona sul, tiveram quatro mortes cada.

Segundo a CET, em 2012, morreram 438 motociclistas na capital paulista, contra 512 no ano anterior - uma queda de 14,5%. Em 2010, houve 478 mortes de motociclistas vítimas de acidente de trânsito, ainda de acordo com dados da companhia.

Ao todo, 1.231 pessoas perderam a vida no trânsito paulistano no ano passado, 2% menos do que as 1.365 de 2011.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.