Acidentes frequentes

PERIGO NO SUMAREZINHO

O Estado de S.Paulo

28 de janeiro de 2012 | 03h02

A situação na Rua Pereira Leite, no Sumarezinho, na altura do n.º 373, é bastante grave por falta de sinalização adequada. A rua é inclinada, tem uma curva sinuosa e, na descida, sempre há acidentes por conta da alta velocidade dos motoristas. As casas instalam pinos e colunas de concreto em frente aos portões para impedir batidas mais graves contra suas residências. É evidente que se trata de uma questão de tempo para ocorrer um acidente fatal. Há anos a vizinhança cobra da CET sinalização adequada, lombada, semáforo ou radar, em vão.

ANA YUMI KAJIKI / SÃO PAULO

A CET informa que a Rua Pereira Leite se encontra sinalizada com: linhas de canalização no meio-fio; linha dupla amarela divisora de fluxos opostos, com dispositivos delimitadores do tipo tachões, utilizados para melhorar a percepção do condutor; placas de regulamentação de proibição de estacionamento; de advertência de curva à esquerda; de regulamentação de velocidade máxima (30 km/h); legenda do tipo "Devagar" pintada no trecho que antecede a curva. Como a placa de regulamentação de velocidade não está bem visível, a CET irá remanejá-la para um local mais apropriado. As sugestões de colocação de semáforo ou lombada não são viáveis.

A leitora afirma: Posso assegurar até por fotos que as sinalizações apontadas pela CET no local não adiantam nada. Sou motorista, passo todo dia pela rua nos dois sentidos e nunca notei as tais advertências. O fato é que a sinalização não é respeitada e prova disso são os inúmeros acidentes. Se não é possível uma lombada, que instalem radar! Enquanto não houver uma ação mais efetiva de fiscalização, placa nenhuma vai resolver.

IMÓVEL ABANDONADO

Sujeira e perigo de invasão

Há mais de dois anos vivo um drama que tem se mostrado sem solução. A casa ao lado da minha (Rua Lúcia Lambertini) foi abandonada pelo proprietário com uma obra inacabada e muita sujeira acumulada. Tentei encontrar o dono, mas ele não passou o IPTU para seu nome e, na Prefeitura, constam dados do antigo proprietário. Entrei em contato com a Prefeitura e a solicitação foi encaminhada a uma das Supervisões de Vigilância em Saúde (Suvis), que me orientou a procurar a subprefeitura, pois nada podia ser feito com a casa fechada. Na Subprefeitura Santo Amaro, onde fui muito mal atendida, disseram que eu deveria falar com o fiscal da região, que trabalha apenas duas horas por dia. O fiscal, porém, disse que não podia fazer nada, pois o IPTU está no nome do antigo proprietário e ele não tinha como mandar intimação. Ele, como funcionário da Prefeitura, não tem como fazer isso? Em resumo, nada foi feito e a situação se agrava. Além do cheiro insuportável, a casa está violada. Qualquer um pode entrar e, pelo quintal, invadir minha residência. A Prefeitura não tem mesmo como localizar esse proprietário?

EVELYN ROCCA BENINI

/ SÃO PAULO

A Subprefeitura Santo Amaro informa que, em 18/11, o proprietário do imóvel foi notificado para proceder a limpeza do local. O não atendimento à notificação gera multa mensal. Quanto ao horário de trabalho do fiscal, esclarece que esses profissionais cumprem jornada de 8 horas diárias, mas grande parte desse horário é cumprida em campo, nas vistorias.

A leitora questiona: O fiscal foi taxativo ao dizer que não poderia notificar o proprietário por causa do IPTU. É muito fácil falar que notificaram, quando ninguém pode averiguar tal informação. Além disso, liguei várias vezes para a subprefeitura e em nenhum momento me disseram que já haviam feito a notificação ao proprietário. Limitavam-se a dizer que não podiam fazer nada em relação ao problema.

MORADORES ILHADOS

Estrada em más condições

Moro numa fazenda entre a cidade de Araçatuba e o bairro Engenheiro Taveira e a prefeitura interditou a estrada principal para realizar reparos. O único acesso que restou, no bairro São José, está um caos, com muita lama. Como farão os moradores, se somente restou uma estrada intransitável? Se algum morador necessitar de assistência médica, como fará? Os moradores estão isolados, ilhados! A prefeitura deveria ao menos deixar uma passagem para pequenos veículos e motos na estrada principal, pois, pelo outro acesso, não é possível passar em dia de chuva. A prefeitura coloca entulho na estrada para amenizar o problema, mas isso só serve para acrescentar esse entulho à lama.

LAURO FUJIHARA / ARAÇATUBA

A prefeitura de Araçatuba não

respondeu.

O leitor comenta: O problema continua. Não recebi nenhuma resposta ou satisfação da Prefeitura de Araçatuba.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.