Laura Maia/Estadão
Laura Maia/Estadão

Acidente incendeia caminhões e bloqueia Rodovia Anhanguera em SP

Ocorrência, às 12h36, foi na altura do km 19 da pista sul da estrada, segundo a concessionária AutoBan; uma pessoa morreu carbonizada

Laura Maia, O Estado de S. Paulo

12 Novembro 2013 | 12h43

Atualizada às 14h22.

SÃO PAULO - Um acidente na altura do km 19 da pista sul da Rodovia Anhanguera, na zona norte da capital paulista, no início da tarde desta terça-feira, 12, bloqueia a pista expressa da estrada, sentido São Paulo, conforme informa a concessionária AutoBan. Um incêndio de grandes proporções atingiu os veículos e uma pessoa morreu carbonizada.

 Segundo o major da Polícia Militar Eduardo Gottardo, a vítima era o motorista da carreta Volvo, que, de acordo com testemunhas, teria causado o acidente que deixou cinco veículos incendiados. 

A ocorrência foi registrada por volta das 12h30. O capitão do Corpo de Bombeiros Henguel Ricardo Pereira disse que cerca de 30 homens, em seis viaturas, participaram do combate ao fogo no local do acidente. "Não havia carga explosiva. O que causou o fogo teria sido o derramamento de combustível." O incêndio demorou cerca de uma hora para ser controlado.

Sequência. A engenheira Bruna Ghilarde, de 24 anos, perdeu o controle do Peugeot que dirigia quando seguia pela Rodovia Anhanguera. Ela conta que chegou a colidir na mureta de proteção à esquerda e foi parar na faixa central. "Foi tudo muito rápido", disse. 

Em seguida uma moto e um carro pararam para ajudá-la e os veículos que vinham atrás conseguiram frear, menos uma carreta. "A carreta estava muito rápido e  acertou todo mundo", conta a engenheira que não sofreu ferimentos.

Alison Boeira, de 25 anos, dirigia um dos caminhões atingidos pela carreta. Ele escapou sem ferimentos, mas chorou ao lembrar do momento. "Perdi tudo, só consegui pegar a minha carteira e pular", conta o motorista que vinha de São Marcos, no Rio Grande do Sul, com o carregamento de plásticos. Ele faria uma entrega na capital.

O motorista José Roberto de Oliveira, de 52 anos, também estava no caminhão que Boeira dirigia e conseguiu pular antes do fogo atingir a cabine. "Quando vimos os carros parados nós conseguimos frear a tempo, mas a carreta veio desgovernada atrás. Foi desesperador, porque fiquei preso, não conseguia soltar o cinto."

(Colaborou Caio do Valle)

Mais conteúdo sobre:
Rodovia Anhanguera acidente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.