Corpo de Bombeiros/Estadão
Corpo de Bombeiros/Estadão

Acidente entre ônibus e caminhão deixa um morto e 14 feridos

Colisão aconteceu na Rodovia dos Imigrantes, na altura do quilômetro 37; um homem de 71 anos morreu no local

José Maria Tomazela, Juliana Diógenes e Luiz Fernando Toledo, O Estado de S.Paulo

14 Dezembro 2016 | 07h41

Um acidente entre um ônibus e uma carreta causou a morte de uma pessoa e deixou outras 14 feridas na madrugada desta quarta-feira, 14, na Rodovia dos Imigrantes, em São Bernardo do Campo. A colisão ocorreu na altura do quilômetro 37. O ônibus da Viação Expresso Luxo, que levava 23 passageiros de Santos para o Aeroporto de Congonhas, na capital paulista, bateu na traseira da carreta que transportava um contêiner de carga. A frente do coletivo ficou completamente destruída.

O Corpo de Bombeiros mobilizou 40 homens em 12 viaturas para prestar socorro às vítimas. Duas delas - Nicole Leanne, de 34 anos, e Juliana Sanches Silva, que não teve a idade divulgada, estão internadas em estado grave em dois hospitais da região metropolitana. Raimundo Santana Marques, de 71 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu no local. 

Um helicóptero Águia da Polícia Militar desceu na rodovia para transportar o motorista, em estado grave. Outras 12 pessoas tiveram apenas ferimentos leves e foram liberadas. O capitão do Corpo de Bombeiros Marcos Palumbo disse que a força do impacto lançou bancos para a frente do ônibus e foi preciso retirar as vítimas pelas janelas.

O motorista do caminhão da frente, Márcio Araújo, de 42 anos, disse que dirigia "tranquilamente" - o veículo carregava um contêiner - e que só sentiu o estrondo da batida, sem saber o que aconteceu. "Só ouvi um estrondo na traseira. Acho que o motorista do ônibus dormiu, porque não aconteceu nada. Eu não tinha freado nem nada", disse Márcio Araújo, de 42 anos. "O problema mesmo foi o psicológico, mas não fiquei ferido. Já chorei muito. Fiquei nervoso. Em mais de dez anos de profissão, nunca passei por isso", disse. 

Araújo ia do Guarujá, no litoral sul de São Paulo, para Itapira, no norte, e prestava serviço para a empresa Copercarga, do Guarujá. Por volta das 9 horas, ele ainda estava no local do acidente fazendo reparos no veículo, que teve dois pneus estragados, além da lanterna e outros itens. Já o ônibus ficou destruído. O condutor relatou que ainda não foi prestar esclarecimentos à polícia.

O capitão do Corpo de Bombeiros Marcos Palumbo disse que a força do impacto lançou bancos para a frente do ônibus e foi preciso retirar as vítimas pelas janelas. Ouça abaixo a entrevista do capitão à Rádio Estadão.

Versões. O motorista do ônibus, de 51 anos, disse aos policiais que dirigia a 88 km/h - dentro dos limites da via - e que tentou ultrapassar o caminhão, mas viu que um carro à sua frente impediria a manobra e tentou recuar. A versão foi apresentada pela empresa no 4º Distrito Policial de São Bernardo do Campo, mas sem apresentar provas da velocidade do veículo. Baixa visibilidade por causa da neblina foi outro argumento apresentado. O motorista, que ficou ferido e ainda não foi prestar depoimento, pode ser indiciado por homicídio culposo.

O gerente de operações da Viação Luxo, empresa responsável pelo ônibus, Clayton Carvalho, lamentou o episódio e afirmou que o motorista do coletivo está bem. "Estamos com todo o pessoal envolvido para resolver a situação", disse. Carvalho disse que, após o acidente, um outro coletivo levou os passageiros que não ficaram feridos para o aeroporto, destino final da viagem. 

O delegado titular do 4º DP Roberto Menezes disse que vai convocar os passageiros do ônibus para prestar depoimento. Até as 15h desta quarta-feira só um deles já havia ido à delegacia, mas afirmou que estava dormindo no momento do acidente e não viu nada. 

Equipes da concessionária Ecovias, administradora do Sistema Anchieta-Imigrantes, interditaram três das seis faixas da rodovia após o acidente. Apesar da interdição, não havia congestionamento na rodovia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.