Acidente em 1987 matou 60

Em 13 de setembro de 1987, dois catadores de sucata encontraram um cilindro nas antigas instalações de uma clínica de radiologia em Goiânia. Eles o levaram para casa e abriram a cápsula a marretadas. Isso liberou um pó azulado e brilhante que 16 dias depois seria identificado como Césio 137, altamente radioativo.

O Estado de S.Paulo

30 Abril 2012 | 03h01

Antes de a Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnen) ser informada e isolar as áreas em que o material foi exposto, o cilindro foi vendido para o dono de um ferro-velho, que mostrou o pó para a família e amigos. Uma sobrinha dele até ingeriu o material, depois de comer pão com uma mão suja de césio 137. Ela morreu um mês depois.

A contaminação deixou 60 mortos e milhares de pessoas ficaram expostas ao material radioativo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.