Acidente com ônibus

DESCASO DA SPTRANS

O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2012 | 03h05

No dia 8 de junho, às 19h15, na esquina da Alameda Iraé com a Avenida Moema, um ônibus da SPTrans do consórcio Unisul colidiu com meu veículo e se evadiu sem prestar esclarecimentos ou socorro. A batida foi leve e consegui ir atrás e anotar o prefixo, placa e linha do ônibus. Lavrei o Boletim de Ocorrência no mesmo dia e entrei em contato com a SPTrans explicando o ocorrido e pedindo instruções de como proceder para ser ressarcido. Recebi dois protocolos: um da reclamação e um do atendimento e me deram o prazo de 10 dias corridos para apresentarem uma resposta. Vencido o prazo, eles continuam dizendo que não têm resposta e que não há nada que se possa fazer. É uma sensação horrível de impotência contra o Município, que não treina e não pune com o devido rigor os motoristas de ônibus. Nem no site da SPTrans nem no 156 existe uma alternativa ou instrução para tratar de acidentes envolvendo ônibus. Um verdadeiro descaso com a população.

TOMAZ DE GOUVÊA / SÃO PAULO

A SPTrans informa que a reclamação do leitor foi encaminhada para a empresa VIP Transportes Urbanos Ltda., que é responsável pela

Linha 5124-10 Vila Missionária/Moema (circular). A empresa tem 10 dias para analisar o caso e tomar as providências necessárias.

O leitor reclama: Só com a intervenção da Coluna o cidadão consegue uma resposta da SPTrans, dado que pelo 156 eles só dizem que minha solicitação está "em análise", mesmo passado o prazo prometido. Só espero que a VIP Transportes Urbanos não tenha o mesmo descaso que a SPTrans.

LIXEIRAS NA CIDADE

Instalação sem critérios

A respeito da colocação das lixeiras, que finalmente foi providenciada, concordo inteiramente com o leitor sr. José Thomaz Filho (edição de 16/6, pág. C2). Tenho observado a sua instalação nas regiões do Ibirapuera, Vila Mariana e Jardins e não há nenhum critério. Na Avenida Pedro Álvares Cabral, por exemplo, foram instaladas lixeiras a cada 10/15 metros na calçada em frente do Obelisco, onde não passam pedestres. Já na área da Assembleia Legislativa são raras as lixeiras. Acredito que não há nenhum critério técnico e que a secretaria não foi fiscalizar para dar a resposta publicada, pois basta observar para notar os erros cometidos.

GILBERTO POLETO / SÃO PAULO

A Secretaria de Serviços, por meio da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb), informa que a instalação das papeleiras obedece a critérios técnicos que levam em conta o fluxo da via e sua frequência de varrição. Se após algum período os equipamentos se mostrarem subutilizados em determinado local, será providenciado o seu remanejamento.

O leitor comenta: Acredito que o procedimento esteja correto no geral, porém nos casos citados não há lógica. Vamos ficar com a parte boa e dar um voto de confiança para que se corrijam essas questões.

OBRA NO IPIRANGA

Barulho à noite

Lembro-me de que a Lei do Silêncio foi instituída com o propósito de preservar e respeitar um breve momento em que alguns cidadãos têm o direito de descansar. Porém, não é esse o respeito que está sendo dado há mais de um mês pela empresa responsável pelas obras do edifício comercial Infinity Trade Center, na Rua Silva Bueno, 566, no Ipiranga. Pelo menos 500 famílias estão sofrendo com o barulho que começa às 7 horas e nunca termina antes da meia-noite. Tenho gravado trabalhadores com maquinário pesado, barulho de caminhões, ferro e muito mais. Liguei para o serviço 156 e avisei o zelador da obra para que ele informasse o responsável do incômodo no horário noturno. Não tive retorno e o barulho em horários inapropriados continua.

JOELMA LARISSA B. AMARAL

/ SÃO PAULO

A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras informa, por intermédio do Programa de Silêncio Urbano (Psiu), que já está programada uma vistoria no local na próxima semana. Caso sejam constatadas irregularidades, serão aplicadas as medidas previstas na legislação. Esclarece também que a Subprefeitura Ipiranga esteve no local e constatou que a obra possui alvará de aprovação e execução e se encontra regularizada.

A leitora relata: Fui pessoalmente até a Subprefeitura Ipiranga e me informaram que fariam a vistoria. Só espero que o serviço seja realizado no horário noturno, para que possam constatar que o trabalho tem sido efetuado com ruídos extremos até depois das 19 horas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.