Acidente com caminhão cheio de maconha mata 15 no PR

Veículo se chocou contra van em Guarapuava e acabou saqueado pelos índios; duas vítimas seguem em estado grave

JULIO CESAR LIMA , ESPECIAL PARA O ESTADO , CURITIBA, O Estado de S.Paulo

13 de junho de 2012 | 03h03

Um caminhão que carregava cerca de 300 quilos de maconha e produtos contrabandeados bateu em uma van e causou 15 mortes, na madrugada de ontem, no interior do Paraná. A colisão foi no km 482 da BR-277, na região de Nova Laranjeiras, a 380 quilômetros de Curitiba. Só dois ocupantes dos veículos sobreviveram e seguem internados em estado grave em Guarapuava, a 250 km da capital paranaense.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, o caminhão com placas de São Paulo seguia no sentido de Foz de Iguaçu para Curitiba, oficialmente levando só madeira. Por motivo ainda desconhecido, invadiu a pista contrária, atingindo a van da empresa SVR, do município de Castro.

Sergio da Rosa, que dirigia a van, morreu na hora. O motorista do caminhão, José Antônio Timóteo da Silva, morreu a caminho do hospital. Por causa do acidente, a pista foi interditada por cerca de oito horas.

Logo após o acidente, policiais descobriram que o caminhão não transportava apenas madeira, mas também maconha e produtos contrabandeados. Parte das toras e dos objetos foram saqueados por índios que vivem na aldeia Rio das Cobras, na região de Guaraniaçú. Já a droga foi apreendida pela polícia. No meio da tarde, representantes da Fundação Nacional do Índio (Funai) se reuniram com os chefes indígenas e convenceram a aldeia a devolver grande parte da mercadoria saqueada.

Vítimas. Continuavam internados em estado grave no Hospital São Vicente de Paulo, em Guarapuava, Odineu Luiz Gonçalves, de 25 anos, e Vladimir Fernandes, de 15. Ambos são de Ponta Grossa.

Os mortos são Bernadete Prestes da Silva, Marta Ivonete Favarin Silva, Raquel Souza de Almeida, Milton Everson Lopes, Valdecir Rodrigues, Carlos Francisco Zaremba, Mizael Oliveira Silva, Jonathan Alves Gonzaga, Oséias Alves da Silva, Fernando Rodrigo Fernandes Lopes, José Ari Callaça, Jhonathan dos Santos Amâncio, Cleverson da Rosa, Daniel Rodrigo Fernandes e José Antonio Timóteo da Silva. Os corpos foram levados para o Instituto Médico Legal (IML) de Cascavel.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.