Acidente com A320 é o pior no mundo em cinco anos

Desastre está entre os 30 piores de todos os tempos, e pode se tornar o mais grave na América Latina

BBC Brasil,

18 de julho de 2007 | 13h11

O acidente aéreo com o Airbus A320 da TAM, na noite de terça-feira, 17, em São Paulo, foi o que causou mais vítimas em mais de cinco anos, e está entre os 30 maiores da História, segundo as informações de sites e agências especializadas na segurança aeroviária. Além disso, caso as pelo menos 186 mortes previstas inicialmente sejam confirmadas, este será o acidente mais trágico da história da aviação na América Latina.   Veja também: Lista das 186 vítimas do acidente O local do acidente Opine: o que deve ser feito com Congonhas?  Os piores desastres aéreos do Brasil A cronologia dos acidentes em Congonhas Conheça o Airbus A320 Galeria de fotos Assista a vídeos feitos no local do acidente Conte o que você viu e o que você sabe   O pior incidente do tipo registrado antes do trágico final do vôo 3054 ocorreu em maio de 2002, perto da costa de Taiwan.   O avião que caiu no mar depois de decolar de Taipei para Hong Kong levava 206 passageiros e 19 tripulantes, e não houve notícia de sobreviventes, diz o site Airsafe. O site é fundado pelo especialista americano Todd Curtis, conhecedor do setor aéreo e também do aeroporto de Congonhas.   Ainda assim, a gravidade do acidente com o A320 da TAM poderia pelo menos se aproximar do ocorrido em 2002, já que as autoridades brasileiras ainda não confirmaram oficialmente o número de mortos em solo.   A aeronave que viajava de Porto Alegre a São Paulo se chocou contra um terminal de cargas do Aeroporto Internacional de Congonhas e pegou fogo.   Entre os piores - De acordo com informações da Aviation Safety Network, o acidente ocupa a 29ª posição no ranking dos piores acidentes aéreos da aviação mundial.   A lista considera apenas as vítimas a bordo das aeronaves, sem contar eventuais mortos no solo.   Inicialmente, a TAM havia anunciado que 176 pessoas estavam a bordo do avião, o que colocava a tragédia entre as 40 piores da história, mas posteriormente a companhia corrigiu o número para 186, elevando a posição do acidente no ranking dos piores da história.   O mais grave desastre aéreo da aviação registrado até hoje, ainda segundo a Aviation Security Network, aconteceu em 1977, quando duas aeronaves das companhias Pan Am e KLM chocaram-se na hora da decolagem no Aeroporto de Tenerife, na Espanha, matando 583 pessoas.   Com o novo número de mortos, a tragédia ocorrida em São Paulo torna-se o maior desastre aéreo já ocorrido na América Latina, ultrapassando o número de vítimas de um acidente ocorrido no Suriname, em 1989.   Naquela ocasião, 176 pessoas morreram quando um avião da Surinam Airways, vindo da Holanda, teve problemas de visibilidade na hora da aterrissagem por causa do mau tempo e atingiu árvores próximas à pista, levando à queda e à explosão da aeronave.   Culpados - Para Chris Yates, especialista em segurança de aviação e tecnologia e editor da revista especializada Jane's Airport Review, ainda é cedo para apontar culpados para o acidente com o Airbus da TAM.   Ele acredita, no entanto, que o mau tempo, combinado à velocidade do avião na hora do pouso, podem ter atrapalhado a tração da aeronave, que invadiu a avenida Washington Luís, ao lado da pista, e chocou-se com um depósito da empresa, provocando uma explosão de grandes proporções.   "As causas normais para um desastre como este são normalmente problemas com o avião, falha humana ou erro do aeroporto ou de controladores aéreos. Neste caso, as investigações ainda terão de esclarecer a causa, mas me parece que o mau tempo, a velocidade do avião no pouso e o fato de a pista estar em obras podem ter contribuído para o acidente", disse Yates.   Histórico sombrio - As informações recolhidas pelo Airsafe.com, um site baseado em Atlanta (EUA) e que tem como finalidade prover informações sobre segurança aérea a passageiros, imprensa e profissionais do setor, mostram que o Brasil registra um histórico sombrio de acidentes aéreos nos últimos dez meses.   O acidente desta terça-feira e o que matou 154 pessoas quando um avião da Gol se chocou contra um jato Legacy na Amazônia, em setembro do ano passado, estão entre os incidentes aéreos com maior número de mortos dos últimos tempos.   Em agosto de 2006, um avião com 170 pessoas a bordo caiu próximo à cidade de Donetsk, na Ucrânia.   Em agosto de 2005, 160 pessoas morreram quando um MD82 da West Caribbean Airways que decolou da Cidade do Panamá caiu perto de Machiques, na Venezuela.

Mais conteúdo sobre:
Vôo 3054

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.