LUIZ CLAUDIO BARBOSA/FUTURA PRESS
LUIZ CLAUDIO BARBOSA/FUTURA PRESS

Acidente bloqueia pistas da marginal por 20 horas

Colisão aconteceu na altura da Ponte Engenheiro Ary Torres, na zona sul, mas reflexos foram sentidos no trânsito da cidade, que registrou pico acima da média após a ocorrência

O Estado de S. Paulo

12 Fevereiro 2015 | 16h10

Atualizada às 21h10

SÃO PAULO - Um acidente com duas carretas, que aconteceu por volta das 23 horas desta quarta-feira, 11, interditou duas das cinco faixas da pista expressa da Marginal do Pinheiros, no sentido Interlagos, na capital paulista. A via só foi completamente liberada ao tráfego às 19 horas desta quinta-feira, 12, 20 horas após a ocorrência.

De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), três das cinco faixas da via permaneceram liberadas durante esse tempo. Apesar disso, a pista registrou trânsito acima da média até o início da noite.

A colisão aconteceu na altura da Ponte Engenheiro Ary Torres, na zona sul. Uma das carretas quase caiu no Rio Pinheiros. Uma desavença entre os motoristas teria causado o acidente, mas a Secretaria Estadual da Segurança Pública (SSP) não confirmou a versão. Eles não ficaram feridos.


A demora para a remoção dos dois caminhões, cuja colisão chegou a quebrar a mureta de concreto que separa a pista de veículos da ciclovia que margeia o rio, causou grande impacto no trânsito da cidade. 

Uma linha de alta tensão que passa por cima do local do acidente dificultou a utilização de equipamentos para içar os veículos envolvidos no acidente. Ela teve de ser desligada, de acordo com a AES Eletropaulo, para que o trabalho pudesse ser finalizado.

Às 11h30, a capital paulista atingiu 147 quilômetros de lentidão, quando a média para o horário varia entre 52 km e 84 km. O trânsito ficou acima da média na cidade inteira entre as 9h30 e 14 horas, conforme dados da CET. Até o fim da tarde, o motorista ainda enfrentava lentidão.

Às 19 horas, uma das carretas foi removida da pista expressa, mas a outra continuava no local, sem afetar o trânsito.

A AES Eletropaulo, em nota, informou, no mesmo horário, que prestava apoio à CET para retirada dos veículos e que o fornecimento de energia na região seria normalizado após a reconstrução da rede elétrica, o que seria feito assim que a CET finalizasse os trabalhos no local. Para restabelecer a eletricidade, a Marginal do Pinheiros não precisaria ser interditada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.