Achado corpo de 2º taxista soterrado em Ouro Preto

Outros dois mortos foram encontrados em Minas e nº de vítimas por causa da chuva no Estado chega a 8, mas pode haver mais

MARCELO PORTELA , BELO HORIZONTE, O Estado de S.Paulo

05 de janeiro de 2012 | 03h04

Três corpos de vítimas das chuvas que castigaram Minas Gerais na terça-feira foram encontrados ontem. Assim, chega a oito o número oficial de mortes desde o início do período chuvoso, em outubro. Ao menos três pessoas continuavam desaparecidas ontem no Estado, que tem 66 cidades em estado de emergência e mais de 10 mil pessoas fora de suas casas, entre desalojados e desabrigados. Ao todo, 119 municípios já foram afetados.

Um dos corpos encontrados ontem foi o do taxista Denílson Maciel de Araújo Silva, de 26 anos, vítima do deslizamento de terra que causou o desmoronamento de parte da rodoviária de Ouro Preto, na região central de Minas. Ele foi encontrado com a ajuda de cães farejadores após 40 horas de trabalho. As buscas tiveram de ser interrompidas várias vezes por causa da chuva e do risco de deslizamentos.

Na terça-feira, 18 horas após o deslizamento ocorrido no início da madrugada, os bombeiros já haviam resgatado o corpo do também taxista Juliano Alves, de 28 anos, enterrado ontem. Assim como o colega, ele morreu dentro do veículo parado no ponto de táxi da rodoviária.

De acordo com os bombeiros, os táxis, a rodoviária e outros dois imóveis foram atingidos por 30 mil m³ de lama e entulhos.

Os corpos de João Paulo Coelho, de 81 anos, e de Genésio Cândido Martins Filho, de 42, foram encontrados ontem em Guidoval, na Zona da Mata mineira, uma das mais castigadas pelos temporais. Coelho morreu em casa, surpreendido por uma enchente que cobriu a maior parte do município, de pouco mais de 7 mil habitantes. Martins, de acordo com a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), foi levado pela enxurrada ao descer da árvore em que estava abrigado com a família.

Segundo o Corpo de Bombeiros, uma quarta vítima da chuva foi encontrada ontem. É um homem que foi arrastado pela correnteza ao tentar cruzar o Rio Arantes, em União de Minas, no Triângulo Mineiro, também na terça-feira. O corpo foi localizado no rio, próximo de Frutal. Ainda de acordo com os bombeiros, a vítima e outro homem, que continua desaparecido, atravessavam o rio a cavalo quando foram levados pela água.

A assessoria da Cedec, porém, informou que esses casos não foram relatados ao órgão e, por isso, não estão incluídos no balanço oficial das vítimas. Ainda segundo a Cedec, houve notificações de corpos encontrados em outras regiões de Minas, mas ainda não há confirmação de que sejam de vítimas dos temporais.

Trégua. Ontem, a chuva parou em algumas regiões, mas várias cidades permanecem inundadas, principalmente na Zona da Mata. Em Cataguases, a prefeitura decretou estado de calamidade pública.

A situação também é grave em Visconde do Rio Branco, onde um deslizamento de terra matou uma mulher na segunda-feira. É nesta região que está a maior parte dos 87 lagos e barragens monitorados pelo governo do Estado por causa do risco de rompimento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.