Acessórios práticos que descomplicam a vida na cozinha

Entre os itens que diminuem o tempo à beira do fogão, um superliquificador que cozinha e panelas de pressão de preparo express

Valéria França, O Estado de S.Paulo

09 Julho 2011 | 00h00

Se cozinhar já é complicado, quem tem pouco tempo livre no dia a dia tem ainda menos condição de aproveitar uma boa refeição caseira. Mas as lojas oferecem todo tipo de solução - desde acessórios simples para fazer comida (e não só esquentar) no micro-ondas, até uma sofisticada máquina que tritura, liquidifica e até cozinha os ingredientes, caso do recém-lançado thermomix.

A Plasútil, por exemplo, desenvolve acessórios de plásticos para micro-ondas, entre eles, uma omeleteira (R$ 5,30, em média) que também faz ovos pochê. A marca ainda tem uma caçarola de plástico para fazer legumes no vapor, cozinhar arroz e carnes.

Mais difíceis de serem encontradas, as minipanelas são ideais para pequenas porções. É o caso da caçula das panelas de pressão, com capacidade para 2,5 litros, da Silit (R$ 939). Ela ocupa menos lugar no armário e, comparada com a convencional (quatro litros), cozinha duas vezes mais rápido frangos, carnes e sopa. Um pouco maior, a Eterna da Nigro é uma opção mais em conta, R$ 185,60, na M. Dragonetti, loja especializada, na Vila Nova Conceição.

Outra peça coringa é a panela wok pequena, com diâmetro de 32 centímetros. A da Tramontina, de material antiaderente com tampa de vidro, sai por R$ 99, no site da Americanas. E pode sair direto do fogo para a mesa e depois para a máquina lava-louças.

Para quem não tem muito tempo para pilotar o fogão, o arquiteto Fernando Piva aconselha uma cozinha planejada compacta, equipada com acessórios pontuais. "Quando planejei o apartamento do solteiro para uma mostra, no lugar do fogão coloquei uma chapa de calor por indução, que ocupa menos espaço." Havia ainda máquina de lavar louça, forno elétrico, micro-ondas - tudo na menor escala que existe no mercado. "É importante pensar nos hábitos dos moradores. Um homem solteiro, que gosta de beber, por exemplo, deve ter uma máquina de fazer gelo e uma adega."

Para preguiçosos. Professor de gastronomia de escola homônima, Nicolau Rosa diz que o maior sucesso entre os alunos é o thermomix (R$ 5.290). "Este é o eletrodoméstico para preguiçosos", brinca Rosa, que em seguida explica: "Imagine um liquidificador mais potente, que além de triturar, ainda pica, mistura e cozinha em alta e baixa temperatura." Segundo a fabricante, Vorwek, o aparelho substitui 24 portáteis e utensílios. Entre outras funções, ele ainda pesa, amassa e rala.

Rosa fez uma demostração para a reportagem do Estado. Preparou ali uma musseline de mandioquinha, espécie de purê com creme de leite. Não sujou nenhuma panela. "Esse aparelho é o sonhos dos cozinheiros."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.