Acervo da Mário de Andrade reabre dia 21

Setor de consultas e empréstimos muda do número 1.024 para o 94 da Consolação

Cristiane Bomfim, O Estado de S.Paulo

13 de julho de 2010 | 00h00

 

Fechada em dezembro de 2008, a biblioteca circulante da Biblioteca Municipal Mário de Andrade será reaberta ao público no próximo dia 21. Desde que foi criado, em 1944, o setor de consulta e empréstimo já passou por vários locais. O último foi o prédio da Chácara Lane, no número 1.024 da Rua da Consolação, onde ficou entre 1995 e 2008.

Agora, o acervo com 42 mil exemplares terá endereço permanente: vai ocupar o térreo do prédio da Mário de Andrade na Rua da Consolação, 94. Os outros espaços do imóvel, fechados para reforma desde setembro de 2007, deverão ser reabertos no início do próximo ano.

Na circulante, os livros estão dispostos em 18 prateleiras de uma sala ampla com fachada de vidro. A iluminação foi adequada à leitura e os usuários terão acesso a nove terminais de computadores para consulta e localização dos títulos. Dois deles, com acesso livre à internet. Do total de livros à disposição, 7.500 são novos. A capacidade total é para 60 mil unidades.

Entre os títulos oferecidos estão coleções de arte, história, geografia, literatura e ciências exatas. Na entrada, ficarão expostas as mais recentes aquisições da biblioteca, além de dicionários e enciclopédias.

São 130 lugares para leitura e estudo. O atendimento ao público será feito por 20 pessoas, entre funcionários e estagiários. Ainda não há uma estimativa de público. "Faremos todo o esforço possível para trazer o maior número de pessoas aqui", afirma a coordenadora da biblioteca circulante, Elisângela Alves.

 

O esforço inclui a criação de uma programação cultural no local. No dia seguinte à reabertura, por exemplo, haverá uma oficina sobre a memória do samba paulista com o crítico André Domingues. Os leitores também poderão visitar uma sala com a Coleção São Paulo, que tem 1 mil títulos sobre a capital.

Um espaço de convivência foi criado ao lado da biblioteca. Nele, o visitante poderá ler jornais e revistas do dia, além das publicações periódicas mais recentes. A sala, com amplas janelas e vista para um jardim contemplativo terá, no futuro, um café. "Este espaço foi criado para que as pessoas se sintam à vontade", afirma a diretora-geral da Biblioteca Mário de Andrade, Maria Christina Barbosa de Almeida.

Empréstimo. A reabertura do acervo circulante está programada para as 12h do dia 21. A partir daí, ela funcionará de segunda a sexta, das 8h30 às 20h30, e aos sábados, das 10h às 17h. Cada usuário poderá retirar até dois títulos por vez. A permanência é de 15 dias e pode ser renovada. Para fazer o cadastro é preciso levar um documento original com foto e um comprovante de endereço recente. A carteirinha vale para todo o sistema municipal de bibliotecas.

Todos os livros para empréstimo têm sistema antifurto. A saída dos títulos sem autorização será detectada por portais de controle.

Reforma. A Biblioteca Mário de Andrade está fechada para reforma desde setembro de 2007. As obras, com prazos estourados, foram orçadas inicialmente em R$ 13,2 milhões e deveriam ser concluídas em março de 2009. O novo prazo é início de 2011.

O projeto de reforma inclui restauro da fachada do edifício, impermeabilização das lajes e adequação dos locais de armazenamento de livros. Em dezembro de 2009, o plano ganhou um prédio anexo, que armazenará cerca de 3 milhões de fascículos de revistas e jornais. A Biblioteca Mário de Andrade tem o segundo maior acervo do País, com 300 mil títulos, incluindo os da circulante.

O NOME

Poeta, romancista, crítico de arte, musicólogo, professor universitário e ensaísta, Mário de Andrade (1893-1945) foi um dos criadores da Semana de Arte Moderna de 22.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.