WERTHER SANTANA|ESTADÃO
WERTHER SANTANA|ESTADÃO

Nova Cracolândia tem mais um dia de confusão após ação da PM

Usuário de drogas e voluntário foram atingidos com bala de borracha durante a ação; PM foi ferido com paulada na cabeça

Isabela Palhares, O Estado de S. Paulo

17 de junho de 2017 | 11h27

SÃO PAULO - Uma ação da Polícia Militar para buscar suspeitos de tráfico de drogas na Praça Princesa Isabel, onde está instalada uma nova Cracolândia, terminou em confusão na manhã deste sábado, 17. Um usuário de drogas e um voluntário foram atingidos com bala de borracha e um policial levou uma paulada na cabeça. 

A PM informou que os policiais tentavam abordar suspeitos de tráfico de drogas, quando teriam sido atacados pelos dependentes químicos com pedras e paus. Os usuários também correram para as ruas do entorno e o trânsito teve que ser desviado para outras vias. 

Agentes da Guarda Civil Metropolitana disseram que a confusão começou quando se encerrava a limpeza diária do local. Os usuários estavam reunidos em um dos lados da praça, enquanto aguardavam o fim da limpeza, quando os policiais tentaram deter os suspeitos. Os dependentes, então, teriam corrido em direção aos PMs. 

Em nota, a PM disse que policiais, viaturas e cavalos do regimento da cavalaria foram atingidos. Um soldado foi ferido com pauladas na cabeça. Ele foi socorrido ao Hospital da Polícia Militar, segundo a corporação. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que ninguém foi preso e que "o caso foi registrado no 2º DP como lesão corporal".

Um usuário de drogas foi atingido por uma bala de borracha no olho esquerdo. Ele foi socorrido por voluntários até uma ambulância do SAMU, que estava estacionada em frente ao Centro de Atendimento Psicossocial (Caps) Redenção. Segundo a Prefeitura, ele foi levado para a Santa Casa.

José Carlos de Matos, que atua como voluntário na região, também foi atingido por uma bala de borracha nas costas. "Estava tudo tranquilo, a limpeza estava acabando. A gente tinha orado e eu distribuía os pães, quando começou a confusão e a polícia vindo para cima dos usuários. É muita violência", disse Matos. 

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do governo estadual confirmou o uso de balas de borracha para conter o tumulto. "A PM possui regulamentação interna, alinhada com preceitos internacionais de direitos humanos e de uso da força para manter a ordem com quaisquer alternativas não letais", diz a nota. 

Preso. Há três dias, outra confusão já havia ocorrido na nova Cracolândia e terminou com um suspeito de tráfico preso, um guarda civil ferido e um ônibus depredado. O tumulto da últma quarta-feira, 14, também ocorreu durante uma ação de limpeza da Praça, que passou a ocorrer duas vezes por dia com o objetivo de evitar a reinstalação de barracas e tendas, que facilitariam o tráfico na área. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.