Ação é do tamanho de uma brigada leve

O tamanho do efetivo ainda não está definido, mas pode chegar a 4 mil militares, quase o tamanho de uma brigada de infantaria leve - a unidade de referência operacional do Exército. A liderança da ação caberá a um triunvirato formado pela Defesa, a Justiça e a Secretaria de Segurança. Estarão no teatro de operações da Maré tropas da elite combatente do País, como os paraquedistas e os fuzileiros navais.

ANÁLISE: Roberto Godoy, O Estado de S.Paulo

27 Março 2014 | 02h05

Mais do que isso, também devem ser mobilizados times da Brigada de Operações Especiais, de Goiânia, um avançado grupo, fortemente especializado, por exemplo, em ações de resgate, antiterrorismo, invasão e extração de lideranças hostis. Estarão no ar os helicópteros blindados da Polícia Militar, com atiradores de precisão, e os de emprego geral da Força Aérea - a bordo, observadores dotados de recursos eletrônicos avançados. Para percorrer os 4,26 milhões de metros quadrados do complexo, ocupado por 122 mil pessoas, serão usados três tipos de blindados da Marinha.

Os grandes Clanf, anfíbios de 30 toneladas e 8 metros de comprimento, transportarão até 25 combatentes armados sob a proteção de metralhadoras duplas e lançadores de granadas. No apoio, os M-113 de 12,3 mil quilos, que levam 12 fuzileiros, e o modelo mais moderno, o Piranha, usado pesadamente pelo batalhão brasileiro que atua no Haiti.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.