Ação conjunta é que tornará crime raro

Os serviços de inteligência das duas polícias, ao mapear as ocorrências de roubo e furto de caixas eletrônicos, perceberam que o crime acontecia em locais afastados do centro, a partir das 3h. Isso estava ligado ao pouco policiamento nas ruas, que começa a diminuir após a meia-noite. A partir do mapeamento dos casos, a Polícia Militar voltou a implementar nesses locais e horários o trabalho da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) e das forças táticas - viaturas maiores de cada batalhão com quatro policiais com mais armamento e treinamento.

José Vicente da Silva Filho, O Estado de S.Paulo

06 de setembro de 2011 | 00h00

Com isso, o crime migrou. Agora, para diminuir o número de ocorrências no interior, é necessária a confluência de ações que derrubou o número de casos na capital e Região Metropolitana. O ideal é unir o trabalho de policiamento ostensivo inteligente feito pela PM, o sistema de investigação da Polícia Civil que identifica e prende as quadrilhas e a instalação gradual do mecanismo de sujar notas de tinta nos caixas eletrônicos pelos bancos. Essas três medidas são fundamentais para tornar esse crime mais raro no Estado.

É EX-SECRETÁRIO NACIONAL DE SEGURANÇA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.