WERTHER SANTANA/ESTADÃO
WERTHER SANTANA/ESTADÃO

Abril mais quente da história bate recorde de frio nesta sexta

Temperatura máxima nesta tarde foi a menor já registrada no mês em 45 anos; previsão é de ainda mais frio na segunda-feira

Fábio de Castro, O Estado de S. Paulo

29 Abril 2016 | 19h02

SÃO PAULO - O mês de abril mais quente já registrado em São Paulo acaba de bater também um recorde de frio: a temperatura máxima de 16,5° registrada nesta sexta-feira, 29, foi a mais baixa para uma tarde de abril nos últimos 45 anos, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Além disso, a temperatura mínima 11,8°C da manhã desta sexta foi a menor do ano pelo segundo dia consecutivo. O frio foi o mais intenso em abril desde 1999, quando os termômetros chegaram a 8,3 °C.

Apesar do frio, que chegou à capital paulista na quinta-feira, 28, este mês provavelmente baterá o recorde de abril mais quente da história na cidade, de acordo com Franco Villela, meteorologista do Inmet.

“Foi um mês bastante anômalo. Apesar do recorde de frio, vamos fechar abril com as maiores médias de calor já registradas”, disse Villela ao Estado.

O Inmet identificou que, em abril, a cidade teve quatro das 10 maiores temperaturas já registradas para o mês na história. Segundo Villela, também foi a primeira vez que um mês de abril teve 20 dias com temperaturas médias acima dos 30°C.

“Passamos mais de três semanas sob a influência de um sistema de alta pressão que agia como uma espécie de bloqueio para as frentes frias. Mas agora tivemos uma frente fria muito intensa”, disse Villela.

Segundo o meteorologista, a massa de ar polar que agora atua sobre grande parte do País  teve uma trajetória excepcionalmente continental, o que intensificou a sensação de frio nos últimos dias. “Quando uma frente fria passa pelo oceano, ela ganha umidade e suas características mudam rapidamente. Mas quando ela tem uma trajetória continental, a queda de temperatura é muito brusca”, explicou.

De acordo com Villela, neste sábado são esperadas chuvas fracas, mas a tendência é de diminuição da nebulosidade em todo o Estado. As temperaturas mínimas seguirão no mesmo nível e as máximas terão elevação. No domingo, com a diminuição da nebulosidade, o frio deverá aumentar à noite. Na segunda-feira, 2, as temperaturas mínimas cairão ainda mais e deverão ser as menores do ano até agora.

 

Mais conteúdo sobre:
SÃO PAULO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.