Abertura de comporta alaga parte de Sorocaba

Votorantim também foi atingida pela medida; água em Franco da Rocha baixou

José Maria Tomazela e Elvis Pereira, O Estado de S.Paulo

15 Janeiro 2011 | 00h00

A abertura das comportas da Represa de Itupararanga pode ter causado o transbordamento do Rio Sorocaba, alagando bairros ribeirinhos em Sorocaba e Votorantim, na noite de quinta-feira. A vazão da represa para o rio aumentou de 12 m³ para 34 m³ por segundo.

Em Votorantim, 30 casas foram inundadas nos bairros da Chave e Fornazari. O Corpo de Bombeiros usou botes para resgatar moradores. A dona de casa Luísa de Oliveira foi salva quando era levada pela enxurrada. Casas, ruas e avenidas ficaram alagadas nos bairros Vergueiro e Maria do Carmo, em Sorocaba.

Em Porto Feliz, com rios e córregos transbordando, a Defesa Civil decretou alerta máximo e as famílias começam a ser removidas de oito áreas de risco. Dezenas de pessoas tiveram de ser resgatadas do meio da água e seis ficaram feridas. Os moradores são levados para abrigos municipais. Mais de 60 pontes foram danificadas ou destruídas pelas enchentes na região. Bairros rurais estão isolados em Sorocaba, Itapetininga, Tatuí, Guareí, Porto Feliz, Pilar do Sul e São Miguel Arcanjo.

Lama e lixo. Após dois dias isolado pela água, o centro de Franco da Rocha, na Grande São Paulo, tornou ontem a receber a circulação de pessoas e veículos. A água da enchente secou, revelando vias repletas de lama e lixo. Comércios reabriram e servidores tiveram acesso a prédios oficiais, como a prefeitura e a delegacia. Todos perderam documentos, mobília e computadores. Moradores reclamaram da decisão da Companhia de Saneamento Básico de São Paulo (Sabesp) de aumentar a vazão da Represa Paiva Castro.

A Sabesp elevou, na madrugada de quarta-feira, a vazão da represa de 1 m³ para 80 m³ por segundo, provocando o transbordamento do Rio Juqueri, que corta a cidade. Alegou que a medida foi necessária para evitar o transbordamento da barragem, cuja capacidade estava em 97%.

Para o prefeito Márcio Cecchetini, a situação deve voltar ao normal na próxima semana. "Já está voltando tudo ao normal. Só precisamos terminar a limpeza", relatou o coordenador da Defesa Civil, Donizete Bernardo Antonio. Segundo ele, o desastre não deixou moradores desabrigados ou desalojados. Também não houve mortes.

Moradores passaram a sexta-feira contabilizando os prejuízos. "Perdi o guarda-roupa, o sofá, a cama, a máquina de costura...", contou a dona de casa Vera Lúcia de Almeida, de 46 anos.

 

CORREÇÃO: Diferentemente do publicado anteriormente nesta mesma reportagem, a Represa de Itupararanga é operada pela empresa CBA e pelas prefeituras de Votorantim e Sorocaba – e não pela Sabesp. A abertura das comportas pode ter causado o transbordamento do rio Sorocaba, alagando bairros em Sorocaba e Votorantim, na quinta-feira. O nível do reservatório está elevado por causa das chuvas.

 

Veja aqui como funcionam as represas

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.