Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Abertura da estação de metrô Adolfo Pinheiro, em São Paulo, é adiada

O governador Geraldo Alckmin determinou a suspensão de visita inaugural que seria feita neste sábado por questões de segurança

O Estado de S. Paulo

31 de janeiro de 2014 | 20h01

SÃO PAULO - A abertura da estação de metrô Adolfo Pinheiro, da Linha 5 - Lilás, foi adiada nesta sexta-feira, 31. Uma nota divulgada pelo Metrô informa que o governador Geraldo Alckmin (PSDB) determinou a suspensão da visita assistida na nova estação, que seria iniciada neste sábado, 1º.

Ainda de acordo com a nota, a medida foi tomada "tendo em vista exigências adicionais de segurança solicitadas pelo Corpo de Bombeiros". O secretário dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, disse, em nota, que "segundo orientação do governador, o Metrô deve cumprir todas as medidas nos mínimos detalhes para garantir a segurança dos usuários".

O Metrô ainda informa que uma "nova data de abertura da estação Adolfo Pinheiro será anunciada pelo Metrô, assim que as exigências forem cumpridas".

Anúncio. Na terça-feira, 28, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse que a estação Adolfo Pinheiro do Metrô começaria a funcionar no sábado, 1º, em horário reduzido.

O tucano anunciou também que, após sucessivos atrasos, o edital da obra da Linha 18-Bronze do Metrô de São Paulo seria lançado na quarta-feira, 29. Mas Alckmin não destacou nenhuma alteração no processo licitatório para evitar a formação de cartéis, como se suspeita ter ocorrido em outras obras metroviárias. "É a primeira vez que o Metrô sairá da capital", disse o governador, após acompanhar a chegada do tatuzão (máquina que escava e constrói túneis) ao canteiro da futura Estação Eucaliptos, na Linha 5-Lilás, na zona sul.

Mais conteúdo sobre:
metrôadolfo pinheiroSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.