Abatimento do IPVA

CRÉDITOS DA NFP SÓ PARA VEÍCULOS JÁ QUITADOS

O Estado de S.Paulo

18 Outubro 2011 | 03h02

Este ano, os arrendatários de veículos financiados não podem mais usar os créditos da Nota Fiscal Paulista (NFP) para obter o abatimento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). A Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo sabe cobrar o imposto, mas, na hora de utilizar o crédito, não é possível porque "o veículo não é de sua propriedade". É lógico que não, pois é financiado! Apesar de o automóvel estar em nome do banco, há uma observação no documento com os dados do arrendatário. Tanto que é ele que paga o IPVA. Até o ano passado eu conseguia transferir os pontos da NFP, porém o governo trouxe essa "novidade" para desserviço

dos cidadãos.

RENATA FERRERO PALLONE / SÃO PAULO

A Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo esclarece que a nova regra para abatimento ou quitação do IPVA com créditos do Programa Nota Fiscal Paulista não traz nenhum prejuízo para os consumidores. Explica que qualquer usuário cadastrado no programa poderá transferir seus créditos para uma conta corrente ou poupança de sua titularidade e, posteriormente, utilizá-los para o recolhimento do IPVA do veículo que desejar.

A leitora opina: Não estou satisfeita, pois quem deveria decidir o que fazer com os meus créditos sou eu e não a Secretaria da Fazenda. Apesar de o governo federal incentivar a compra de automóveis e conceder crédito para isso - aliás, até aumentou o IPI das montadoras de importados para incentivar a compra de veículos produzidos no Brasil -, o governo estadual dificulta a vida do cidadão que usa o financiamento.

LARGO DO PAIÇANDU

Pedido de reforço policial

A exemplo da Praça do Correio, que tem uma base comunitária da Polícia Militar (PM), por que o Largo do Paiçandu não tem uma também? A feira do rolo se mudou para lá e a quantidade de marginais aumentou.

HAROLDO LOPES / SÃO PAULO

A PM responde que a 2ª Companhia do 7º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano faz o policiamento no local e, de janeiro a agosto, recuperou 66 veículos roubados e furtados, efetuou 249 prisões, apreendeu 7.830 quilos de drogas e 11 armas de fogo. Diz ainda que intensificará o policiamento no local e que denúncias podem ser feitas pelo 181.

O leitor ressalta: Não foi respondido se uma base comunitária será instalada no local.

CRÍTICAS À SPTRANS

Atendimento péssimo

Perdi meu Bilhete Único e fui maltratada pela atendente do 156 ao cancelá-lo. Quando fui ao posto do Terminal A. E. Carvalho para retirar a nova via, questionei por que a SPTrans desconta R$ 27,40 de um bilhete que tinha R$ 47 de créditos. A funcionária, grosseiramente, respondeu porque eu o perdi. Ofendida, perguntei seu nome e ela se recusou a dizê-lo. Tentei protocolar uma queixa no 156, mas a ligação caiu depois que o atendente me deixou esperando ao telefone. O pior é ainda ter de viajar num ônibus em péssimo estado.

CELINA CARDOSO / SÃO PAULO

A SPTrans responde que consultou a gravação do atendimento realizado pelo 156 e observou que a funcionária o iniciou e finalizou se identificando corretamente. Acrescenta que a atendente esclareceu os questionamentos feitos pela senhora Celina. Informa que está em constante processo de melhorias.

A leitora critica: O atendimento foi finalizado de forma grosseira. A SPTrans não respondeu sobre o valor cobrado pela segunda via nem sobre o péssimo tratamento no terminal.

IBERIA

Mala viaja sem o dono

Meu genro viajou pela Iberia de Madri para o Rio de Janeiro em 17/9. Mas a mala dele ficou na Espanha. Houve uma confusão e a bagagem foi enviada para São Paulo. Não conseguimos obter nenhuma informação de onde está a mala. Além de roupas, há objetos de trabalho.

VALERIE GAS / SÃO PAULO

A Iberia explica que, em 17/9, a mala do sr. Lars Hollstein não chegou com ele no voo entre Madri e Rio de Janeiro. Esclarece que, ao fazer o pedido do passageiro, foi solicitado que a bagagem fosse enviada para São Paulo, mas não foi informado quanto tempo ele estaria nessa cidade. A bagagem chegou a São Paulo em 19/9 e foi entregue ao passageiro em 22/9.

A leitora comenta: O problema foi resolvido, mas não da forma que a Iberia alega. Nunca foi solicitado que a mala fosse enviada para São Paulo. Meu genro a retirou no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro/Galeão após 5 dias de sua chegada ao Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.