Abastecimento já está quase normalizado, diz Sabesp

Segundo a companhia, reparos já foram encerrados; cerca de 750 mil foram afetados pela falta de água

Fabiana Marchezi, do estadao.com.br,

10 Fevereiro 2010 | 12h49

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) informou no início da tarde desta quarta-feira, 10, que o abastecimento está praticamente normalizado nas regiões afetadas pelo rompimento de uma adutora. Os reparos foram encerrados por volta das 14 horas de terça-feira, 9.

 

A adutora de grande porte se rompeu no começo da manhã de domingo, 7, na esquina entre as avenidas Roque Petroni Júnior e Chucri Zaidan, em frente ao Shopping Morumbi. Cerca de 750 mil moradores das zonas sul e oeste e região metropolitana de São Paulo foram afetados.

 

De acordo com a Sabesp, Butantã, Vila Sônia , Pirajussara, Jardim São Luiz, Campo Belo, Americanópolis, Interlagos, Raposo Tavares, Jardim Campestre e Granja Viana já contam com o fornecimento de água.

 

Osasco, Itapecerica da Serra, Jaguaré e Bela Vista - regiões atendidas por outro sistema, mas que sentiram a falta d'água em virtude da manobra emergencial da Sabesp para atender os bairros mais críticos afetados pelo rompimento da adutora - também contam com o fornecimento de água normalizado.

 

O abastecimento está regularizado para cerca de 90% dos moradores de Morumbi, 80% dos de Taboão da Serra e parte de Embu. A normalização dessas regiões e do Jardim Ângela, que são locais mais altos e distantes, deve ocorrer ao longo do dia.

 

O rompimento da adutora ocorreu por causa das fortes rajadas de vento durante a chuva da madrugada de domingo. A ventania provocou o destelhamento da Estação Elevatória Theodoro Ramos. A chuva danificou os painéis elétricos da estação e provocou uma parada abrupta das motobombas. Essa parada repentina criou uma grande onda, que se propagou dentro da tubulação a uma velocidade muito grande e afetou a válvula que faz a descarga da adutora, ocasionando o rompimento. A distância da estação elevatória ao ponto do rompimento é de 6,3 quilômetros.

 

Desde o início da operação, cerca de 1 milhão de litros de água - suficientes para abastecer 10 mil habitantes - foram distribuídos por caminhões-pipa.

 

Casos emergenciais serão atendidos pela Central de Atendimento 195, que funciona 24 horas. A ligação é gratuita. Atendimentos também podem ser feitos via chat ou por email pelo site da Sabesp.

Mais conteúdo sobre:
Sabespágua

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.