A voz das ruas

Pelo visto...

TUTTY HUMOR, O Estado de S.Paulo

19 Outubro 2012 | 08h40

Sair de Cuba ficou mais fácil do que entrar nos Estados Unidos. Só se fala disso em Havana!

Efeito colateral

Pode não ter sido exatamente uma infecção o que tirou de circulação o secretário-geral da Fifa, hospitalizado no Rio desde a noite de quarta-feira. Jérôme Valcke passou mal na véspera de uma reunião com o presidente da CBF José Maria Marin, o ex-jogador Bebeto e o ministro Aldo Rebelo. Tem coisa mais enjoada?

Que turma!

Ao tomar posse dia desses no Senado, o suplente por Tocantins João Costa Ribeiro Filho (PPL) citou o Sagrado Coração de Jesus, o Imaculado Coração de Maria e um texto de Oswaldo Montenegro. Que Deus o perdoe!

Mal comparando

O encontro de Dilma Rousseff com Nicolas Sarkozy na próxima segunda-feira, em Brasília, terá em comum com o almoço entre Cristina Kirchner e Lula na quarta-feira passada, em Buenos Aires, a absoluta falta de importância de certos compromissos da agenda presidencial tanto no Brasil quanto na Argentina.

Vida que segue

José Dirceu tem dito a aliados que está "preparado" para a prisão. Resta saber que tipo de consultoria o ex-ministro vai prestar na cadeia.

Cabeça feita

O futebol brasileiro viveu uma quarta-feira histórica na Vila Belmiro: Neymar desistiu do corte de cabelo moicano!

A sociedade precisa agora fazer sua parte! Se a ideia da oficialização da gazeta às segundas e sextas-feiras na Câmara dos Deputados é liberar o parlamentar para ouvir o cidadão nas ruas de seu domicílio eleitoral, todo brasileiro tem obrigação de dizer o que pensa quando esbarrar com seu representante no Congresso batendo perna longe de Brasília no primeiro ou no último dia útil da semana: "Vai trabalhar, vagabundo!"

Sem gritos, por favor, para não parecer mais um desses espasmos de indignação nacional. Esse papo de "basta!", como se sabe, não cola com políticos. Ou, depois de tantas exclamações contra tudo-isso-que-aí-está, eles não teriam a cara de pau de legitimar o que na prática já acontece: três sessões ordinárias por semana e não se fala mais nisso!

É o tipo de provocação que o eleitor não deve aceitar passivamente, mas muito cuidado para não ficar enchendo a paciência de amigos e parentes com sua reação instintiva a mais essa afronta.

Aproveita o tempo livre concedido aos deputados em suas bases para dizer-lhes ao pé do ouvido o que pensa a respeito: eles vão acabar abrindo mão dos dias de folga só para evitar te encontrar!

Pé-frio eleitoral

ACM Neto está apavorado! Caetano Veloso não vota na Bahia, mas anda dizendo por aí que confirmaria o nome do candidato do DEM na urna eletrônica se tivesse domicílio eleitoral em Salvador! O artista, como se sabe, não elege ninguém que apoia desde FHC em 1998!

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.