A super quinta-feira

Só no sapatinho

TUTTY HUMOR, O Estado de S.Paulo

25 Setembro 2012 | 03h03

José Serra está terminantemente proibido por seus marqueteiros de bater pênaltis em campanha! E não se fala mais nisso, ok?

Melhor não!

O ministro Guido Mantega ameaça de novo elevar o IOF para segurar o câmbio. Se você não sabe o que é isso, não tente fazer no banho, sob o risco de queda feia no box do chuveiro.

"Meu nome é Dilma!"

Nada menos do que 143 "Dilmas" disputam as eleições de outubro em todo o País. A oposição suspeita que a presidente possa ter aberto uma franquia!

Bom negócio

Com Ganso e Luís Fabiano no mesmo time, o São Paulo já pensa em cobrar ingresso pela visita do torcedor ao departamento médico do clube.

Pior de tudo

O cúmulo da solidão tem nova referência nas noites paulistanas: sabe lá o que é sair para a balada nos bares da Vila Madalena e não aparecer nem um PM para puxar papo sobre a lei seca?

Óbvio ululante!

Numa coisa Lula e a oposição estão de acordo: "O Brasil não seria o mesmo sem o PT!" - afirma o ex-presidente. Vai dizer que não?

Enfim, sarado!

Quase um mês após o fim do namoro, Barbara Berlusconi passou a noite no apartamento de Alexandre Pato em Milão e, ao contrário do que vinha acontecendo nas últimas vezes em que dormiram juntos, o atacante não se machucou. Capaz até de atuar no próximo jogo do Milan!

Faltando ainda dois dias para a visita íntima do século, já está tudo pronto no Presídio da Papuda para receber Andressa Mendonça. Com todo respeito ao Carlinhos Cachoeira, quase todo preso de Brasília vem há semanas fazendo riscos nas paredes das celas para ajudar o contraventor na contagem regressiva dos dias até a tão esperada "super quinta-feira" na carceragem.

Cá pra nós, não deve ser fácil, mesmo para um sujeito determinado como o Carlinhos, aproveitar bem o habeas corpus que lhe garantiu seis horas reservadas com sua amada na cadeia, sabendo da expectativa que o cerca.

Deu pra sentir a solidariedade da galera a cada tapinha nas costas no último banho de sol: "Tamujuntu", "força, meu!", "qualquer coisa que precisar..."

A imprensa, imagino, também deve estar mobilizada para a cobertura do acontecimento, registrando pelo menos a entrada e a saída de Andressa da Papuda. Entre uma coisa e outra, sabe Deus o bicho que vai dar!

Se algo não correr bem - toc, toc, toc -, francamente, acontece! Quinze dias depois estaremos todos na torcida de novo. Ela merece!

Feriadão do Zé

O brasileiro não toma jeito: tem gente por aí planejando enforcar o trabalho na primeira sexta-feira de outubro, entre o julgamento de José Dirceu no STF e o domingo da eleição. Pode?

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.