A rotina dos Reis Momo no Rio e em SP

No Rio, o novo Momo quer perder 10 kg até o fim da festa; em SP 'monarca' malha todo dia

Redação do Guia,

13 Fevereiro 2009 | 16h15

Houve época em que a disputa pela coroa de Rei Momo era uma briga entre pesos pesados, literalmente. Candidatos com menos de 150kg, nem pensar. Diante deste padrão, o novo monarca da festa paulistana, o dançarino Robério Theodoro, 27 anos, é quase um ‘magricelo’: com 92kg e 1m82, ele só foi eleito graças à mudança no regulamento que baixou o peso mínimo dos candidatos de 100kg para 90kg. Sua Majestade sabe que representa uma mudança de valores. "Quero ser o Momo da geração saúde. A obesidade e o sedentarismo são um perigo", afirma.   Mas Robério também pode ser o Momo de outra geração: a dos homens assumidamente vaidosos. O bailarino não dispensa tratamentos estéticos como massagens relaxantes, drenagem modeladora e limpeza de pele, e passa toda semana na manicure e no cabeleireiro. Sem falar nas cinco sessões semanais de musculação e nas calorias extras que queima com a atribulada agenda corrida de apresentações pré-Carnaval, ao lado da rainha Camila Silva e das princesas Elaine Abreu e Mara Kelly.       Veja também:  Cobertura completa do carnaval 2009   Blog: dicas para quem quer curtir e para quem quer fugir da folia Especial: mapa das escolas e os sambas do Rio e de SP      Não é exagero - apenas empolgação. "Sempre sonhei em participar da corte do carnaval, mas a falta de peso me impedia. Quando soube da mudança no regulamento, desisti de ensaiar outro candidato e decidi concorrer eu mesmo ao trono", conta. Além de rei, Robério também vai poder bancar o faraó: esta será sua fantasia na comissão de frente da Mocidade Alegre.   Queimando calorias no samba   Com 130kg distribuídos em 1m84, Milton Rodrigues Júnior, eleito Rei Momo do Rio de Janeiro, pode não ser tão esbelto quanto seu colega de São Paulo, mas também se preocupa com o visual. Com as apresentações em festas, blocos de rua e escolas de samba, ele espera perder entre 5 e 10 quilinhos extras até o fim do feriadão.   O bancário, de 27 anos, é o primeiro a defender que "o ponteiro da balança já não é tão importante" na hora de definir o monarca do Carnaval. Ele já havia participado do concurso outras vezes, mas nunca passava da segunda colocação. Desta vez, provou aos jurados que, mais do que gordurinhas, esbanjava os outros requisitos de um bom Momo: bom-humor, simpatia, espírito carnavalesco e muito samba no pé.   Embora tenha sido criado em Madureira, bairro da Zona Norte que é o berço da tradicional Portela (e um dos principais redutos do samba), Milton demorou para entrar na folia. Foi apenas em 1995, aos 13 anos, que visitou a quadra da agremiação azul e branco pela primeira vez. A paixão foi instantânea: de lá para cá, nunca mais parou de frequentar essas e outras escolas. "Hoje, conheço todas elas", diz, orgulhoso.   Vaidoso sim, magricelo nunca!   Ivanildo Plínio da Silva, 33 anos e já no terceiro reinado como soberano da festa recifense, também mantém uma rotina de beleza, com natação, caminhada, alimentação controlada e sessões diárias para cuidar da pele. "Sou gordinho desde pequeno, mas sempre fui muito vaidoso." Ele só discorda dos colegas do Sudeste quando o assunto é o peso. "Se o Momo de São Paulo fosse daqui, ele sequer disputaria a eleição. Para nós, um monarca magrinho não tem muita graça", afirma o professor de danças folclóricas, de 168kg.

Mais conteúdo sobre:
carnaval 2009

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.