A república dos estatutos!

Parece que na gafieira deu certo! Diz lá em seus estatutos musicados por Billy Blanco "dance a noite inteira, mas dance direito" - e ai de quem "abusar da umbigada de maneira folgazã, prejudicando hoje o bom crioulo de amanhã". Resta saber se esse gênero de ética da malandragem é capaz de impor respeito ao ambiente selvagem dos estádios de futebol no Brasil.

Tutty Vasques, tutty.vasques@estadao.com.br, O Estado de S.Paulo

30 de julho de 2010 | 00h00

A partir de agora, o torcedor que continuar a se comportar feito animal nas arquibancadas "será devidamente censurado e, se continuar, vai pras mãos do delegado" - olha o breque! Reza o tal Estatuto do Torcedor que não pode mais quebrar, bater, atirar (ainda que pro alto), xingar, empurrar, cuspir na cara, chutar o balde, quebrar o pau, soltar pum, jogar saco de xixi no careca lá embaixo...

Se der certo, o Brasil poderá, assim, de estatuto em estatuto, ir tomando vergonha na cara. Viriam por aí, não necessariamente nessa ordem, os manuais de boa conduta dos políticos, das polícias, dos presidentes da CBF, dos sem-terra, dos apresentadores de programas vespertinos na TV, dos atendentes de telemarketing, dos motoristas de táxi, dos goleiros do Flamengo...

Com cinco mandamentos genéricos em prática, a gente faz um país!

Sem bundalelê

Em defesa do cantor Latino, que vai responder a processo por abuso sexual contra uma menina de 13 anos, deve-se dizer que, ultimamente, ele tem andado muito mais com a turma da Lucília Diniz do que com fãs adolescentes.

Briga indigesta

Quem encontrar a mala da Lucélia Santos por aí, favor comunicar à American Airlines. A companhia aérea deve estar pagando todos os seus pecados por extraviar a bagagem da atriz num voo Nova York-Rio. Bem feito, né?

Nananinanão!

Felipe Massa está arrependido! Nunca mais vai fazer aquilo na pista. Nem adianta os mecânicos da Ferrari insistirem naquele papo de que, para ser homem de verdade, precisa dar passagem três vezes para um colega da equipe. O piloto não cai mais nessa.

Vice-armário

Que diabos o presidente do PSDB, Sérgio Guerra, quis dizer com "o Michel Temer é um guarda-roupa que ninguém quer"? Será que todo mundo resolveu sair do armário em Brasília?

Só o que faltava

Cientistas americanos concluíram que a solidão mata mais que cigarro e álcool. Pior ainda quando o sujeito fuma e bebe justamente porque está só.

Sim, senhora!

Ciro Gomes desistiu de criar caso com Dilma Rousseff. Não reclamou nem da comida no almoço que a candidata lhe ofereceu ontem em Brasília. Parece que a Patrícia Pillar está por trás disso!

Será?

Com Maradona desempregado e o São Paulo praticamente sem técnico, são boas as chances de um acordo entre as partes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.