A proibição nos postos resultará em menos acidentes?

Debate

, O Estado de S.Paulo

07 de abril de 2011 | 00h00

José Montal

Sim

Essa atitude é encorajadora. Pode servir de exemplo para todo o Estado de São Paulo e o Brasil. A prefeitura de Mauá está dando um alerta à população de que a junção de carro e bebida alcoólica é muito arriscada. Estudos médicos comprovam que não existe dose segura para dirigir. Os resultados serão positivos, eu imagino. Mas eles dependem também de fiscalização, educação no trânsito e conscientização dos motoristas.

VICE-PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MEDICINA DE TRÁFEGO (ABRAMET)

José Alberto Paiva Gouveia

Não

Acho que o poder público deve combater o consumo de álcool dentro do posto de combustível, não a venda do produto - como estabelece essa lei municipal de Mauá. A loja é um conforto para o consumidor e é muito importante para a renda do posto de gasolina. O motorista pode até comprar uma cerveja no posto e levá-la para tomar em casa posteriormente.

PRESIDENTE DO SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE DERIVADOS DE PETRÓLEO DO ESTADO DE SÃO PAULO (SINCOPETRO)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.