'A probabilidade de falha existe', afirma secretário

Sobre as recentes falhas em metrôs e trens de São Paulo, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou ontem que o sistema transporta 7 milhões de passageiros e é um dos "maiores do mundo". "Estamos dentro dos índices internacionais metroferroviários e procurando aprimorar ao máximo para ter o mínimo de problemas", afirmou.

O Estado de S.Paulo

26 Outubro 2011 | 03h04

Para o secretário dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, as repetidas falhas no Metrô não indicam deterioração do serviço e ocorrem em proporção muito baixa, em comparação com o número de viagens. O Metrô faz 4,1 mil viagens por dia e a CPTM, 2,8 mil. "Não tem como uma falha não afetar 2 mil pessoas que estão no metrô. Os números absolutos são grandes e isso acaba aparecendo."

Fernandes afirmou que o problema ocorrido ontem na Linha 12-Safira da CPTM se acentuou porque um usuário acionou a trava de emergência da porta de um dos vagões.

"Levamos mais tempo para escoar toda a população do que para tracionar o trem. Algo que você resolve em 10 ou 15 minutos acaba levando 30 ou 40." Segundo Fernandes, a secretaria fará campanha para conscientizar usuários sobre os transtornos da ativação dessa trava. / M.P. e KARINA TOLEDO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.